Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

172 verdades

mau feitio, 16.07.19

Hoje em dia, não há ninguém que não tire fotografias e são os poucos que não têm redes sociais nas quais partilham as suas fotografias. Mas, na realidade, a fotografia é uma arte e, como em todas as formas de arte, há quem se destaque mais do que outros. O chamado ''artista''. Apesar de, muitas pessoas não fazerem da fotografia uma profissão, possuem essa arte dentro de si. Têm aquela criatividade, a perícia, a atenção aos pormenores, ideias inovadoras, sabem fazer com que a fotografia fique bonita e convidativa a seguir o perfil que a posta. Tenho que admitir que eu não sou uma artista a tirar fotografias... nem sou boa a colocar filtros. Embora, eu já tenha aprendido muito aqui nas ondas da Internet e vendo as fotografias de outras pessoas.

Ok, e onde eu quero chegar?

Às vezes, eu abro páginas no Instagram de pessoas que me dão likes e não só, de pessoas que conheço... e eu fico deliciada a ver as fotografias. Opah! Sabem mesmo tirar e trabalhar a fotografia!! E depois tem aquilo o que a fotografia nos ''quer dizer'' e essas fotos demonstram vidas maravilhosas, que pessoas sortudas, opah! É tudo lindo! 

Mas... quando se pergunta ''então tudo bem?'', muitas dessas pessoas têm uma vida de m***! Estão sempre com problemas, com dúvidas, com inseguranças. 

Eu fico  e pergunto-me ''onde está a luz que tinha na fotografia?! A desconstração? A alegria?''

Eu sei que na Internet é tudo fake ou quase tudo. Eu não estou a dizer que uma pessoa que esteja triste ou que não esteja bem de alguma forma, não possa tirar e partilhar fotografias, colocar filtros com uma mensagem positiva, mas eu fico estupefacta com o medo que as pessoas sentem que se perceba que não estão bem.  Eu não consigo! Eu tenho 172 fotografias, nem todas são mesmo fotografias e, algumas foram tiradas por outras pessoas a meu pedido mas podem acreditar que, apesar do filtro que eu coloco só  para melhorar a fotografia, todas dizem o que estou a sentir, o que quero mesmo dizer, esteja feliz ou triste. Pessoal, não ponham filtros nos vossos sentimentos. 

Não tenho jeito nenhum para tirar fotografias nem trabalha-las, só sei que 'tá tudo dito na fotografia.

Até porque se eu estiver na m*** , a m*** vai aparecer na minha cara e em tudo o que eu partilhe.

Querem ver?

13094408_263144680700261_71812206256333546_n.jpgCara de m***
Eu sentia-me uma m***

 

Isto é grave e triste, de verdade!

mau feitio, 03.06.19

Eu gosto muito das minhas amigas! NÃO QUE TENHA MUITAS, mas das que eu tenho, eu gosto muito delas, mas... ó pá, são umas piriquitas para tudo. Bolas! Não comem quase nada, não se podem sujar, não gritam... não gostam de andar de carrinhos de choque, de doces... de nada!
Eu sou uma javarda (no bom sentido, se houver) mas eu gosto de comer muito, sou capaz de comer uma pizza inteira, não tenho nojo em sujar-me, quando há feiras ou festas que tenham carrinhos de choque e esse tipo de distrações, eu adoro ir. Eu sou capaz de passar uma noite inteira ali. Haja dinheiro para fichas, ma' é verdade! Eu sou capaz!! Adoro comidas (cachorros quentes, bifanas, batatas fritas, doces). DOCES!!! Eu delicio-me! Gosto de mergulhar de cabeça numa piscina, gosto de saltar para aquelas piscinas de 3 m de profundidade, andar de bicicleta... essas coisas todas! Elas não gostam de nada. Gosto muito das minhas amigas, mas a verdade é que acabo sempre por me sentir sozinha, não que elas me deixem sozinha, porque sempre que podemos, estamos juntas, mas não HÁ NINGUÉM COMO EU! Eu sou bicho raro. Nem gostam de ler... isto é grave e triste, de verdade!
Haverá no mundo alguém como eu?! Eu sou assim e não tenciono mudar, porque sempre ''ouvi'' dizer que acabamos por encontrar alguém como nós. Pode demorar... mas seja lá quem for, hei-de ter a companhia para os momentos loucos da minha vida (não menosprezando os amigos que tenho nem todas as pessoas que gostam de mim). Mas há-de chegar!

 

Com fé em Deus!

maxresdefault.jpg

Imagem: Google Imagens

 

Relembrando posts antigos #2

mau feitio, 30.03.19
Olá, tudo bem?
Dando continuidade à minha ideia de trazer à tona posts escritos outrora, aqui está outro texto que adorei escrever. 

'' Macacos de imitação
 
26-05-2017
21h12
 
 
Nós não gostamos de muita gente e muita gente não gosta de nós por causa da maioria: se a maioria das pessoas com quem estamos, andamos, do meio onde estamos inseridos não gosta, nós também não. Se essa maioria gosta, nós também gostamos. A maioria ou uma determinada pessoa influente (empresários, presidentes, doutores, filhos destes, figuras públicas, pessoas influentes na Internet, etc)... mas quando ficamos sozinhos, embora não concordemos com algumas atitudes e ações dessa ''muita gente'', damos connosco a pensar, que apesar de tudo não temos nada contra e até gostamos das pessoas, mas concluímos que  émelhor deixar como está, porque se A e B sabem, ficam contra nós também e podemos ter problemas e não estamos para nos arriscar... por isso é melhor imitar os outros porque ser diferente é algo assustador. E vamos seguindo assim, sendo membros das outras pessoas e não pessoas realmente. Mas, membros superiores ou inferiores? Passamos mais de 50% da nossa vida a ter as mesmas opiniões dos outros, a ter os seus princípios, a gostar do que eles gostam, a ouvir o que eles ouvem, a dizer o que eles dizem... a falar como eles e a ser o que os outros são. Nós mesmos, não existimos. Somos um bando de franguinhos influenciáveis. E mais... nós passamos o nosso tempo a não gostar das pessoas, a ter ''coisas'' contra elas, a falar mal delas, a olhá-las de lado, a rir-nos delas por influência dos outros. Ou seja, usamos muito mal o nosso tempo, desperdiçamo-lo em vez de aproveitamo-lo uns com os outros.
É natural haver conflitos e pontos de discordância entre as pessoas, mas não é preciso ir ao extremo das situações, criar um motim contra ninguém e fazer de tudo uma guerra mundial.
Até quando seremos macacos de imitação? Capachos da sociedade, da maioria?
Pois... que se lixem os outros, os seus princípios, gostos, o que pensam, as suas opiniões... lembremo-nos que quando uma ou várias pessoas tentam fazer com que os outros sejam como elas é porque são fracas e medíocres e precisam que alguns palhaços deem a cara por elas.
Sejamos mais nós mesmos e menos os outros. Deixemos que cada um resolva os seus problemas, mesmo que tenhamos a nossa opinião (temos sempre), não precisamos de a manifestar a toda a hora, muito menos, se não nos diz respeito. Sejamos diferentes. Deixemo-nos de lados e fiquemos no meio de todos. Tenhamos vozsim, mas só com que é connosco. Deixemos de ser macacos de imitação.''
 

Imagem do Google Imagens
 
 
Espero que gostem.
Boa noite e Bom Domingo!
Beijs

A verdade disto!

mau feitio, 12.03.19

Olá! 
Hoje vim falar (escrever) sobre a minha verdade de como é viver com uma deficiência. Eu sei que há pessoas piores, problemas piores, vidas piores, um todo o mundo pior mas  para mim ser deficiente ou pessoa com deficiência (como quiserem chamar) é uma grande

PORCARIA

 

Algumas pessoas dizem-me coisas do género: ''enquanto te vires com uma deficiência, todos te virão assim'', mas alguém está dizendo o contrário? Eu nunca neguei. Mas, se eu tenho uma deficiência, eu vivo com ela, eu sinto-a, eu vejo-a... é legítimo falar sobre ela, como todas as pessoas que falam e escrevem sobre os seus problemas quer a nível de saúde, quer a outro nível e da sua vida no geral o quanto quiser. 1500 vezes, se for preciso. E nenhum problema é maior do que outro, cada um tem os seus, as suas dores, os seus fantasmas e todos temOs legitimidade de falar/escrever sobre isso, SEM QUE NINGUÉM NOS INTERROMPA!

Começando a descascar a batata:

Quando/se eu falo sobre isso, as pessoas fogem ao assunto, tem pressa para fazer alguma coisa, não se querem demorar ali, dizem que eu não me posso ver assim, etc, etc, etc. (eu não me vejo de nenhuma forma, apenas 'tou a falar) MAS quando/se alguém aparece com uma depressão meio fingida, para comover e chamar atenção, toda a gente se compadece, toda a gente ouve, comenta, quer ajudar. (Desculpem-me... eu sei  que a depressão é uma doença séria que atinge mais de metade da população mundial e condiciona milhares de setores na vida de uma pessoa, mas convinhamos e sem julgamento, que existem pessoas que por um dia sem sair de casa, ficam desnordeados da cabeça e aí, também acho que as pessoas têm de se acalmar e aproveitar o que têm ao seu redor. Por exemplo, passam uma semana em casa por uma razão qualquer, aproveitem para organizar a casa, para redecorar a casa (mudar a disposição dos móveis), ler, pôr o sono em dia... sei lá... inventem!)
Seguinte, pouca gente perde mais que 5 minutos a falar comigo. Pouca gente: a minha família (FAMÍLIA NÃO É PARENTE), os meus amigos e quem me conhece realmente... ah... algumas pessoas com interesse em algo, perdem tempo... sim. Mas para a maioria,  considera-se que eu não digo nada... não tenho assunto, e eu posso dizer a coisa mais inteligente e séria do mundo que se riem como se eu estivesse a dizer uma piada... ou ficam 

 

autocolante-smile-admirado~649712.jpg

 


Sexo oposto? Ui... fogem de mim, desviam o olhar e não me dão muita conversa. A maioria deles pensa que eu crio amores platónicos com toda a gente... (não tinha mais nada que fazer),  por isso, evitam-me.

amorplatonico.jpg

 

(Sempre) foi assim, quer socialmente, quer no trabalho, quer em que setor, as pessoas do sexo masculino evitam-me! Só mesmo o necessário do necessário e meme assim... se puderem mandar uma mulher falar comigo por eles...  mandam. Analisemos a situation, eu sou heterossexual, mas por exemplo, se eu fosse bissexual?! Era complicado... hein? Ningué falava comigo. LOL! verdadeiros patetas. Enxerguem-se... vá!
E ser cortejada? Isso já nem existe mas poucos o fazem publicamente, poucos hombres me abordam num lugar público a fim de me conhecer (quando abro a boca e notam a minha fala, lembram-se da ''namorada'' que deixaram no café e se ficam a falar é por pena e acham que sou tola e não percebo o objetivo). A maioria que já é pouquíssima fazem-no só por mensagem  e, mesmo assim, alguns pensam que eu nah percebo niente de niente e acham que me podem ''gozar''. Eu disse ACHAM! Eu só me dou a conhecer a quem eu também quero conhecer (em tudo na minha vida, sempre fui assim). 
Graças a Deus, que não é TODO O SEXO OPOSTO, senão estava desgraçada! 
Dia da Mulher? Qual quê?! Para mim é ''Feliz Dia da Menina, querida!'' . E... já tenho 28 anos mas na cabeça das pessoas, hei-de morrer menina.
Relativamente ao argent, money, money, muita gente pensa que eu trabalho para dar aos meus pais, porque nunca vou sair de casa, nunca me vou casar, nunca serei independente, etc, etc, etc e é só para ter ocupação. Nem os meus pais permitiriam que eu trabalhasse para eles. Ma' pronto. Os outros podem gastar o caracol dos pais ou do seu trabalho no luxo e na boa vai ela e eu não posso ter nem guardar o meu próprio dinheiro porque...? NUNCA ME CASAREI! Uma pessoa não guarda dinheiro pra comer, pra combater problemas futuros, pra quando ficar sem os pais, por exemplo (que seja daqui a muito tempo). Cá nada... uma pessoa só se casa. De resto...  na faz nada.  Idiotas! Ah... pois'é, porque quando os meus pais partirem, eu vou para uma Instituição, assim pensam todos ao meu redor, menos eu e a minha família e uma e outra pessoa de alma avançada. Posso ir, claro. Na minha velhice. Ninguém sabe o que será amanhã, mas nada me impede de tocar a minha vida sozinha, ter o meu emprego, ter a minha casa, os meus pertences...
Mais...?
Ah... a seleção que me perdoe, mas eu passo-lhes à frente. A minha vida íntima, amorosa e privada já foi mais discutida do que o Mundial. Acho que até já foram feitas apostas, palestras e debates sobre isso. Incluindo as pessoas que junto de mim tentam saber quelque chose, COMO SE EU FOSSE TOOOOOOOOLAAAAAAA!!! BAAAAAAAAAAH!!!!!!!! Acham mesmo que vou admitir alguma coisa?
Próximo, já aconteceu algumas vezes, na escola ''somos todos iguais'', ''à mesma altura'', mas depois, as pessoas seguiram para as suas vidas. Todos nós!  Uns foram para doutores, outros engravidaram pelo meio e tiveram de ir mais cedo à vida, outros entraram logo para o mercado de trabalho, outros tornaram-se empreendedores, jardineiros, empregados, etc, etc, etc. Caminhos diferentes e não melhores nem piores.  E, de repente, essas pessoas da mesma idade do que eu e até mais novas, dirigem-se para mim como se eu fosse uma atrasadinha... coitada, uma criança. Isso incomoda-me!! Uma coisa são pessoas mais velhas, ''doutro tempo'' digamos assim, outra coisa são pessoas da minha idade ou  idade relativamente próxima ou mais novas! Arght!  que bofetadas!!!!
As pessoas envelhecem rápido... poooh! Hoje, ''andam de umbigo à mostra'', digamos assim. Amanhã, já pensam como velhas Marias da aldeia! Se bem que... eu acho que é ida ao paradise. Depois de ir, acham que ningué é mais do que elas e eles. Ou, ficaram deslumbradas com o poder e se sentem superiores. Vale lembrar que quando digo elas refiro-me a pessoas.
Prioridades? A maior treta escrita que existe! A maioria das prioridades que tive até ao momento ao meu dispor: umas não se praticam. Estão escritas apenas. As restantes, só me incapacitam e tenho de andar como uma vaca marcada com um número, uma referência... desde infância que é assim. As poucas vezes que eu usufruí de apoios e prioridades, quase que fui apedrejada no meio da rua. Mas é engraçado, pois algumas dessas pessoas que me ''quase'' apedrejaram pelos apoios e prioridades que tive, não tinham a mínima noção da sorte que tinham e têm. Não estou dizendo que não tiveram razão nas criticas e que o motivo não fosse válido, mas como vou explicar... Muitas dessas pessoas nasceram em berço de ouro, a única coisa que tinham de fazer era estudar - obter boas notas - passar de ano. Assim que terminado, já têm trabalho por influência dos pais, pelo sobrenome e etc, muitas delas falavam de dinheiro como de quem fala de água a correr na fonte, sem reparar na pessoa que estava ao seu lado, que podia ter menos possibilidades e sentir-se mal. TAMANHA FUTILIDADE! Às vezes, apeteceu-me dizer (gritar): ''TU QUANDO SAÍRES DAQUI JÁ TENS EMPREGO GARANTIDO, ACORDA! DE QUE É QUE TE ESTÁS A QUEIXAR?!'' e isso, confirma-se! Outros que ouro não tinham, votaram no partido certo, lambem os pés e estão de igual forma bem de vida!
A escola é dos justos e o trabalho é dos afilhados!


Há pessoas que estudam para caramba e merecem o cargo que ocupam, deveras! E, em alguns casos, até merecem mais, mas sabe-se como funciona na maioria das vezes.
Falando de padrinhos, é a tal coisa, poucas das pessoas que se ofereceram para me ajudar em situações passadas, julgavam que eu tenho mais dificuldades do que aquelas que realmente tenho e, em vez de me ajudarem a encontrar algo que, realmente me garantisse estabilidade a longo prazo, foi mais ao contrário. Por isso, a fantasia de que uma deficiência me salva a vida a-c-a-b-o-u. Salvaria, se eu aceitasse passar  de ''atrasadinha'' com + dificuldades do que as que tenho, se ficasse calada e submissa. Mas essa não seria eu. Saber mamar é uma arte e requer que a pessoa engula muitos sapos e não tenha opinião, só a opinião que é induzida a ter. Eu não sei fazer isto: ''Dina, vai pôr o lixo fora. - Sim senhor, é para já'' , por exemplo. Eu responderia: ''Vai tu. O processo é o mesmo.'' Posto isto, fila da agência de emprego espera por mim com MUITO ORGULHO! Antes assim do que estar de cabeça baixa, como uma cassete riscada a dizer: ''Sim senhor, sim senhor, sim senhor!'', há quem só se importa com o caracol na panela ao fim do mês, eu também mas não só com isso. Tenho brio. Não quero a melhor poltrona nem o melhor computador, mas ter a minha função e ser responsável por ela, ter alguma liberdade para construir, sem estar pouco a pouco a perguntar se posso, ter trabalho no meu local de trabalho. Óbvio que, depende do local de trabalho, mas do tipo escola ''Posso?'' , eu não suporto isso. Eu sei que tenho uma DEF. e, por isso, vou sempre ter de recorrer aos abutres ditos normais, mas não quero um trabalho onde esteja sempre sujeita a autorizações e avaliações, como se fosse uma atrasada. Nah gosto disso.
 

Quase a acabar... 


Por mais feitos grandiosos que faça, nunca passarei, na cabeça de muita gente, da petxena deficiente, da menina sorridente. Até posso ''salvar o mundo'', mas quem sou eu? A petxena deficiente, fraca, pequenina, sensível, inexperiente.. etc, etc.
Se ao menos, eu tivesse nascido com 1,60cm, 70... a coisa podia melhorar, mas não.  Na hora de me fazer, Deus disse '' Tu minha filha, não vais só ser deficiente, como também vais uma franga de 1,46cm'' . E, dizendo isto, carregou bem pra baixo. Carrega, Nosso Senhor que Tu sabes o que fazes! Haja fé... e meme assim, eu acredito em Ti! Amén.

Álcool & others drugs, Calma! Não existem outras drogas, só usei o título daquele filme Love & others drugs. Eu até gosto de algumas bebidas alcóolicas mas se bebo em público, fica tudo:

nelson-simpsons-haha-placa-D_NQ_NP_604836-MLB26695

Bom... essa a  minha verdade mais sincera que consegui para descrever como é viver com uma deficiência.
É como se tivesse de viver dentro de uma  caixa e lá estão todas as alíneas que devo seguir para ninguém me considerar uma doida varrida, mas eu sou uma varrida doida, não pelo que tenho, mas sim por quem sou.
Lembro que este texto foi escrito com todo o humor, a rir-me de mim própria e de muitas coisas que vivi à conta da minha querida estimadíssima deficiência. A intenção nunca foi e não é comover nem ofender/criticar ninguém. Apenas 'tou a escrever COM TODO O RESPEITO. Se eu quisesse ofender ou lavar roupa suja, relatava momentos, nomeava pessoas e etc, etc, etc.
A  minha verdade é que eu estou viva! Estou aqui, sei o que tenho, até onde posso ir e o que fazer, desde que não prejudique ninguém ao meu redor... eu não nasci para agradar. Por vezes, apetece-me enumerar tudo aquilo que já fiz e esfregar na cara das pessoas e dizer: '' tás a fazer o que já fiz?'', mas aí... estarei a dar às pessoas o que elas querem. 

a-vida.jpg

 

Beijs

 

 

Imagens: Google.

As verdades da vida segundo Dina Coelho

mau feitio, 07.03.18
Qual é a verdade ou quais são as verdades da vida?
Segundo a minha visão, algumas verdades da vida são as seguintes:
 
1.       A vida começa e acaba todos os dias;
 
2.      V.I.D.A - Viver intensamente dando amor;
 
3.     Na vida, é preciso viver na ponta da navalha;
 
4.     Para tudo na vida, há sempre duas escolhas à nossa disposição;
 
5.     O amor da nossa vida encontra-se nas situações mais tristes;
 
6.     Para viver é preciso sonhar e para sonhar é preciso viver;
 
7.     A vida é um sopro e uma gota no oceano;
 
8.     Se a vida não andar,há que empurrá-la;
 
9.     Viver por si só, é a maneira mais bela de viver;
 
10.  A vida precisa de amor para existir.
 
 
     Boa noite meus amores!
 
 
Imagem do Google Imagens

Três verdades sobre moi!

mau feitio, 04.08.17
1- Muito raramente desisto! Sou muitopersistente, insisto, insisto, insisto!!!! Quando quero e quando acredito! E,ainda bem que acredito!
 
2- Sou verdadeiramente rancorosa! Tudo o que mefazem, levo para o caixão. E não vale a pena, amaciarem-me o pêlo, depois dofrasco rachado não há cola que o conserte.
 

3- Quando eu acredito que estou certa, ninguém me tira a razão, nem o diabo e vou até ao fundo da questão até cansar.