Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Somos cores, diferenças e escolhas, mas tudo é Ser HUMANO!

mau feitio, 20.03.19

Africano, Asiático, Amarelo, Vermelho, Caucasiano, LGBT+. É? Prostituta(O), Velho, novo, MULHER, homem,  pessoa com mobildade reduzida, europeu, chinês, brasileiro, pobre, rico,  SOLTEIRO, direito, torto, baixo, a-l-t-o,moreno, gordo, magro, pálido, ruivo, uma palete inteira de cores...   A sério? é diferente de ti? 

Pois... se é, deixa ser! É tudo Ser Humano! É tudo igual! Cada um com a sua diferença, com as suas escolhas e do seu jeito, é tudo Ser Humano, somos todos ESPECIAIS, cada um do seu jeito!

Então... o problema é não gostar?!

mau feitio, 02.03.19

Muitas guerras na sociedade existem, simplesmente, porque as pessoas não gostam. Infelizmente, algumas pessoas na sociedade ainda não perceberam que as escolhas de vida dos outros, independentemente do que seja, não depende dos gostos pessoais de alguém. As escolhas de vida de cada um diz respeito a cada um e às pessoas envolvidas. Não diz respeito à sociedade. E, assuntos como homossexualidade nem deviam ser tema de debate (na minha opinião!). Assim como a homossexualidade, existem muitas outras questões que são debatidas e criticadas pela sociedade... sem razão para isso. Como o amor entre casais com idades distantes entre si, por exemplo. Esta não é minha luta, mas sou a favor da homossexualidade no que diz respeito ''queres amar? Ama!''.
Sinceramente... pessoas, preocupem-se, por exemplo, com os Presidentes que elegem para governar. Preocupem-se sim, com as vítimas de violência doméstica. Não sei se perceberam, mas estamos no SÉCULO XXI. Antes, a violência doméstica era vista como resultado da falta de educação e esclarecimento das pessoas. Hoje em dia, é resultado de quê?!
Preocupem-se mais com os abusos e mau-tratos a crianças, idosos e pessoas com deficiência. Tratem de lhes dar credibilidade.
Lutem pelos direitos dos animais. Mais ainda! (mas não é só no papel nem no palanque), saiam à rua e certifiquem-se dos seus direitos.
Debruçem-se sobre a situação de pessoas sem-abrigo  e com necessidades.
Preocupem-se em criar incentivos à natalidade. Precisamos de crianças.
Preocupem-se com a gravidez na adolescência.
Preocupem-se com o Sistema de Saúde.
Preocupem-se com a Educação.
Preocupem-se com o Desemprego.
E mais! E mais! E mais!

 

Isso sim, são assuntos que devem ser discutidos e resolvidos. São problemas de todos. Agora, a sexualidade de cada um e as suas escolhas é de cada um. 

52451609_2264191543611344_3971677084631171072_n.jpImagem: Facebook

 

3 de Dezembro: Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

mau feitio, 03.12.18

Bom dia,
Hoje é Dia Internacional das Pessoas com Deficiência e como todos sabem e podem ler no blog, eu sou uma dessas pessoas mas, hoje não vim falar de mim, chega de falar de mim. Enquanto, andava a ler o Feed de Notícias encontrei algo interessante que talvez vocês já viram tal como eu pela Internet, mas mesmo assim, vou partilhá-lo (o link) porque, nós temos a tendência a associar a deficiência a um determinado rosto específico e a um aspeto físico descoordenado e menos harmonioso do que nas pessoas ''ditas normais''. No entanto, nem sempre a deficiência ou qualquer doença tem um rosto específico e, em alguns casos, ficamos surpreendidos ao descobrir que determinada pessoa tem algum problema desse género.
De resto, o que posso dizer mais? Não sei se tenho algum leitor portador de deficiência, mas quando se fala de deficiência não se metam comigo! Acredita em ti, que tu consegues, vais conseguir mais do que ontem e não permitas que alguém conduza a tua vida, MESMO que, andes de cadeira de rodas a ser empurrado por alguém, tu é que dizes para onde queres ir e ATÉ ONDE QUERES IR!
Queres escalar uma montanha?! Queres subir uma árvore? Queres nadar? Queres casar? Queres andar de bicicleta? Queres sair de casa? Faz por onde! Eu disse que não ia falar de mim, mas só para vocês terem uma pequena noção da coisa: desde que me conheço por gente, sempre ouvi: ''ela não vai conseguir''. Conseguir o quê? Falar, andar, aprender a ler e a escrever e etc. Eu tenho 28 anos e, ainda hoje, eu ouço isso. Resultado? Eu nunca me calo, se me dão conversa é o dia inteiro. Andar? Ando, pulo, dou pontapés e o blog é a prova que leio e escrevo. E, depois?! São os outros que me dirão o que vou conseguir?! Antes disso, dou-lhes uma ''coça'' , daquelas de criar bicho e medo!  Tinha mais que fazer! Cá para nós, o mau feitio deve ser utilizado nessas situações, façam birra, teimam, ''batam o pé'', mas não se rendam às pessoas, podem não conseguir (não vão consegir tudo, é preciso terem essa noção), mas insistam, tentem e só depois da 123345678901234567890123456789098765443234447887643 vez, aceitem que não dá. É engraçado, porque sempre me vieram com esse discurso ''tens que compreender que há coisas que nunca vais conseguir fazer algumas coisas.'', eu respondia que sabia. Mas não é porque tenho uma deficiência, é porque sou filha de pobre e já daí, os meus pais sempre me conscienlizaram que havia coisas que só podia ter quando eu trabalhasse, porque eles não me iam poder dar. Por ter o que tenho, eu acho que nunca foi preciso que me explicassem muita coisa... devido à educação que me deram, eu sempre compreendi muita coisa pois conseguia transferir sozinha para a minha condição. E tudo aquilo que me disseram que não, eu fiz questão de me informar se era verdade ou descobri por mim. 
Acho que é isso, eu nunca permiti (ou quase nunca) que me dissessem o que podia ou não podia fazer nem faço o que me dizem porque acham que sou uma tola e faço aquilo que me mandam. Por exemplo, uma vez, alguém tentou fazer com que eu pagasse a conta do almoço, como se eu não percebesse nada. - ''Agora, a Dina paga o almoço'', eu respondi: ''pago o meu. Eu não comi do teu prato''. A pessoa não estava à espera... ficou tão envergonhada que não sabia onde havia se meter. Noutras situações, quase sempre, eu respondo ''tá bem''  para não me chatear e depois cá na minha vida, eu faço e deixo de fazer o que me apetecer. 
Bom... já me estou a esticar. Desejo-vos uma ótima segunda-feira e tudo de bom.
Beijs.

Diversity.png

 

Link:

https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/celebhub/as-estrelas-que-ultrapassaram-deficiências-e-atingiram-o-sucesso/ss-BBQjdOj?ocid=spartanntp#image=1

Imagem retirada do Google Imagens