Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

O blog do Mau Feitio

Lamentável!

Falta de bom senso, maturidade e compaixão

mau feitio, 16.11.22

Na Segunda-feira de manhã fui à cidade resolver uma situação e à porta de um escritório que por acaso não sei do que se trata, estava um senhor a dormir no canteiro de flores que pertence a esse mesmo escritório. 
Pelo aspeto, não era um sem-abrigo mas talvez, um sexagenário com um copo de vinho a mais (neste caso, um pacote).
Na minha opinião, o que é lamentável não é tanto a situação em si, claro que é triste e a mim faz-me pensar onde está a família dessas pessoas, os filhos, se os têm... Como devem passar o dia,  se comem, têm para onde ir? É lamentável sim, mas não é tão lamentável como o facto de outro senhor de 50 anos mais ou menos, todo aprumado que com certeza não lhe deve faltar nada sair do escritório, pelo que me pareceu trabalha nesse escritório, para tirar fotografias ao senhor a dormir para partilhar, provavelmente, nas redes sociais ou  fazer uso daquilo de outra maneira. E sem autorização.

É uma grande falta de bom senso, maturidade e compaixão!

Simplesmente, não se goza dessas pessoas nem dessas situações, porque são pessoas que já perderam o rumo da vida.
Eu não sei o que leva alguém para a rua... Sim, na maior parte das vezes, a culpa é das próprias pessoas mas quem somos nós para julgar? Não sei onde estarei amanhã... a verdade é essa.
Que eu tenha sempre sabedoria e discernimento para contornar o pior, mas é preciso saber viver e eu considero que a linha que separa o discernimento do deslumbre é muito ténue. Qualquer um de nós pode cair nas teias da vida e acabar sem nada, perdidos na rua, na droga, na prostituição e na mais gélida solidão.
Nós não sabemos. 
Às vezes, tivemos tudo e acabamos sem nada ou vice-versa e, às vezes, nunca tivemos nada e acabamos sem nada. 
Por vicissitudes da vida ou por própria culpa, isso são vidas muito frias e cruas que quando se entra é muito difícil retornar. Há quem tenha essa força e parabenizo essas pessoas mas há quem não...

Só nos resta ter compaixão e deixar estar. Se não incomoda, deixar estar.

Quanto ao senhor a dormir, tenho a impressão de já o ter visto nas ruas mas também não sei a história de vida dele, até pode viver num abrigo mas como não é permitido entrar alcoolizado nos abrigos, poderá ter adormecido ali. Digo isto, pelo aspeto.  Até podia ter a família à procura dele, não sei... Mas não me parece ser muito lúcido das suas ações.

Só acho que é escussado gozar com essas situações. Tamanha necessidade foi aquela de se levantar da sua mesa de trabalho a rir-se e tirar a fotografia deliciado com a imagem. Pobre de espírito. 

Se realmente estivesse a impedir o bom funcionamento do escritório alguém que o acordasse ou senão, chamavam a polícia municipal e pronto.

Enfim... Sinto vergonha alheia por ver que pessoas que estão bem na vida estejam a rir-se às custas dessas pessoas e situações.

Frase do mês

mau feitio, 18.09.22

Toda a escolha implica uma mudança

 

Esta frase surgiu-me quando estava na minha busca pela frase do mês. Não sei se tem autor, sei que há frases idênticas. 

Todavia, esta frase surgiu-me devido a desenvolvimentos pessoais. 

Eu não consigo escrever sobre esta frase sem expôr pessoas e situações.

Portanto, apenas deixo assinalada a frase do mês.

Todavia, queria muito que compreendessem que quero continuar com uma parte envolvida na história e fazer o luto total da outra.

Mas está difícil compreenderem isso.

Bom, peço desculpa pela falta de desenvolvimento, mas não consigo mesmo escrever muito mais sobre o assunto.

Beijs.

 

Não podiam ficar as duas opções?

mau feitio, 26.06.22

Esta nova moda de inserir a tecnologia em todo o lado é muito divertida e prática p'ra quem gosta e percebe, mas na minha opinião, quando acaba definitivamente com as outras opções e se esquece dos outros é o mesmo que regredir. 

Colocaram plataformas digitais interativas em toda a cidade e retiraram a outra informação que já havia, inclusive, os horários dos autocarros afixados em placas junto às paragens.

No outro dia, esperava pelo autocarro para voltar a casa e na mesma paragem estavam sentados um jovem e um senhor que devia ter os seus 70 e muitos anos. O senhor sentia-se muito aflito por não saber o horário que tinha de tomar para regressar a casa. Dirigindo-se a nós, a mim e ao jovem que também se encontrava na paragem, desabafou por 2 vezes que deviam afixar os horários das camionetas nas paragens para as pessoas saberem a quantas andam.

Quando este se aproximou mais de nós, perguntei-lhe para onde ele ia e tomei a iniciativa de ir à plataforma verificar, o rapaz seguiu-me para ver se podíamos ajudar o senhor. 

Conseguimos ajudá-lo, contudo o Sr. decidiu apanhar um táxi porque àquela hora já não havia autocarros comuns para a sua localidade. Só de Turismo.

Havia necessidade de retirar os horários afixados? Para evoluir é necessário esquecer-se dos outros? 

As pessoas que têm essas ideias maravilhosas não têm pais, avós em casa?

Não é preciso ter 70 anos para não se perceber, há pessoas mais novas que não entendem, que preferem a outra opção! 

Isso dá-me uma raiva!!

NA MINHA OPINIÃO, aquilo não dá jeito nenhum, primeiro que conseguisse escrever o nome da localidade... foi uma eternidade, o teclado travava em algumas letras e  outra, pelo que entendi, não disponibiliza o horário semanal dos autocarros, só do próximo autocarro... Se eu não estiver errada, é uma grande ajuda... Só que não!

Apesar dos meus 31 anos, eu prefiro a moda ''antiga''. Mas se querem evoluir, 'bora vamos! Porém, não nos esqueçamos uns dos outros. 

 

Alguém já viu?

mau feitio, 03.06.22

Ultimamente tenho revisto alguns filmes, o último a que assisti foi este:

550x731.jpg

 

Não sei se vocês conhecem...?

Adèle é uma adolescente que enfrenta os desafios da chegada da maturidade. Sua vida toma um rumo inesperado ao conhecer uma encantadora garota de cabelo azul, com quem começará uma intensa relação e uma viagem de descobertas e prazer.

 

Eu gostei bastante do filme, porque conta o desenrolar da vida de uma adolescente à descoberta daquilo que lhe faz feliz, mas às vezes, por erros que se comete na vida, pode-se perder ''tudo'' de uma vez só.

Imagem do Google Imagens.

Informação: Wikipédia.