Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Aqui sinto-me em casa. E de que falamos na nossa casa com quem nos faz sentir bem? Sobre tudo!

O blog do Mau Feitio

Aqui sinto-me em casa. E de que falamos na nossa casa com quem nos faz sentir bem? Sobre tudo!

Fiz uma reclamação!

Pela primeira vez.

Na semana passada fui a um restaurante/café para beber um galão e comer um doce.

Porque eu tenho uma deficiência na fala não consegui fazer-me entender à primeira, mas o comportamento dos funcionários que me atenderam foi inadmissível. 

Vocês sabem aqueles adolescentes  que se riem de qualquer coisinha que até nos dá vontade de lhes arrebentar a cabeça?

Era isso que parecia. 

Talvez ainda sejam adolescentes e estejam ali a fazer part-time, no entanto, isso não justifica ficarem assustadissímos comigo como se eu fosse um extraterrestre e rirem-se de mim como se eu fosse um palhaço.  

Foi isso que se passou.

Não me entenderam, então ficaram a olhar para mim como eu fosse um alienígena, a passar a "batata quente" um ao outro, a rir-se na minha cara e sussurrar sobre mim à minha frente como se eu não estivesse ali...

Se o cliente que estava na fila percebesse português eu sentia-me humilhada. E senti-me mesmo!

Quando finalmente consegui fazer-me entender,  sentei-me tomei o galão, comi o meu doce, de seguida,  decidi fazer reclamação,  porque eu até sou muito compreensiva mas já chega! 

Século XXI,  2023 já é altura de ultrapassar esses problemazinhos da treta e preconceitos parvinhos de quem tem cérebro de galinha. Cá sei, sejam criativos, inovadores,  ofereçam o menu para tentar entender. 

Quando eu pedi o livro de reclamações,  o rapaz tontinho nem sabia onde estava o livro. Passou 15 minutos à procura,  foi preciso outra pequena vir também nada profissional que não se preocupou muito mas lá foi e encontrou-o.

Enfim... eu sei que a reclamação não vai fazer grande efeito mas fi-la, acreditando que vá mudar alguma coisa. 

Recebi um email Standard a pedir desculpas e blá, blá, blá...

Na minha opinião,  eles não tiveram aquele comportamento por preconceito, mas sim, por imaturidade.

Cada vez mais, eu vejo miúdos muito novos a trabalhar sozinhos em cafés e restaurantes e quando isso acontece é um pandemónio.  Quando chega um colega mais velho  ou mais maduro mudam de atitude.

images.jpeg---------------------------------------------------------------------------------  Imagem do Google Imagens 

Mas o que é que eu tenho a ver com isso?

Ontem à tarde, fui a uma grande superfície fazer umas compras de produtos que me faltavam...

Já na fila do caixa para pagar,  reparei que uma das funcionárias do caixa estava livre, apenas estava a passar creme nas mãos ou a limpar as peles das unhas ou o excesso de verniz. Algo do género. Pouco preocupada com a fila de clientes que aumentava a cada minuto. 

Ao ficar fascinada com tanto profissionalismo da sua parte, aproximei-me determinada para fazer o pagamento,  ao perceber a minha atitude,  a senhora teve de proceder ao pagamento mas estava tão desnorteada que só me deu vontade de sacudi-la: Acorda!

Primeiro disse: " Desse lado."

Eu olhei para ela e respondi:" Eu sei."

Não estava propriamente a pensar ir para o outro lado do caixa. 

Perguntou-me duas vezes se eu queria saco ao que respondi: " eu já disse que sim."

A mesma coisa para " quer contribuinte?"

Eu fiquei confusa e comecei a pensar se eu já não tinha respondido...

Por fim, percebi através de um desabafo da mesma  num monólogo que já tinha passado sa sua hora e que a/o colega estava atrasada/a...

Mas,  na minha opinião,  os clientes não têm nada a ver com esses assuntos nem conflitos.  

Ou das duas uma, ou ela era sincera e dizia que não ia atender mais ninguém,fechava o caixa e ia-se embora ou se escolheu ficar ali a trabalhar até o substituto aparecer, assumia como deve ser.

Agora aquele comportamento é uma tremenda falta de profissionalismo. 

Pessoas desprovidas de bom senso

Moo e Bé

Eu tive a ideia de recriar alguns episódios menos felizes (ou não) do meu passado (ou não) através de pequenas histórias ilustradas sem explicar muito sobre o episódio em si.  Chamar-lhes-ei Conto-te uma história desenhando.

Para esta primeiro história criei a vaca Moo e a gatinha Bé. A vaca Moo tem 26 anos, ou seja, idade suficiente para saber o que dizer e não dizer a uma pré-adolescente de 13 anos, no caso, representada pela gatinha Bé.

Ora aqui está:

A vaca adulta diz para a gatinha ainda criança (1

 

Espero que gostem =)

Se pegar eu continuo a fazer mais histórias.

Beijs

__________________________________________________________________________________________________

Feito por mim no Canva

Ao que isto chegou...

Eu não sei se vocês assistiram ontem às notícias ou  já leram a notícia sobre a influencer brasileira que pegou em roupas de um centro de doações destinadas a refugiados e pô-las à venda na Internet?

Segundo ela, nós portugueses fazemos isso porque as coisas são muito baratas, então doamos. Assim do nada... Baratas aonde?? Essa pessoa deve viver numa realidade paralela.

Então nós portugueses estamos cada vez pior, quase a passar fome e doamos roupa porque sim. 

Ó minha Nossa Senhora!

Isso não é um ''brechó'' ou não sei o quê... É UM CENTRO DE DOAÇÕES DESTINADO AOS MAIS NECESSITADOS!

Que desplante! Então as pessoas iam dar roupa assim... só porque sim? 

Para vender, os próprios donos da roupa, vendiam-na, não a doavam... DUH!

Em sua defesa diz: "não é crime nenhum você fazer o que quiser com as peças".

Não, não é. Mas é falta de respeito, de carácter, de empatia, de consciência, de alguma coisa.

Simplesmente, não se vai a um centro de doações pega-se nas doações e vende-se. Não se vai a um centro de doações se não precisas. Doações são para pessoas que estão em estado de miséria e extrema necessidade.

afirmou ainda que falou com uma das responsáveis pelo espaço que visitou em Portugal, que lhe terá explicado que as peças para pessoas carentes, como refugiados, são previamente separadas.

 

Se isto é verdade, eu acho que o dever da responsável é encaminhar as restantes peças para outros centros ou de acordo com a junta de freguesia distribuir pelas famílias mais carenciadas.

E porquê que não são apenas guardadas? O que não devem faltar são pessoas a precisar de roupa. E como assim, qualquer um pode entrar e levar? Também não percebi essa.

 

______________________________________________________________________________

Notícia aqui

Pequeno-almoço com direito a espetáculo de parkour

Já que o pequeno-almoço foi caro que nos deem espetáculo

Esta manhã fomos fazer análises e depois decidimos ir às compras, uma vez que, está a chover a potes e falta umas coisas em casa, assim já fica feito. 

Entretanto, optámos por comer algo primeiro, então fomos ao café ao pé do sitio onde íamos fazer as compras.

Particularmente, eu não gosto muito daquele café porque acho que é frequentado por pessoas que não sabem estar, assim como, funcionárias sem muitas maneiras mas pronto. Lá fomos.

Depois de pedir o que queríamos, atravessamos as mesas e as pessoas barulhentas do café e sentámo-nos na última mesa de trás e, de repente, uma das funcionárias sai da cozinha, descalça as sapatilhas e sobe uma das mesas e o frigorífico das bebidas e senta-se ali para tirar o relógio da parede e colocar pilhas novas.

Já que o pequeno-almoço foi caro que nos deem espetáculo.

 

Lamentável!

Falta de bom senso, maturidade e compaixão

Na Segunda-feira de manhã fui à cidade resolver uma situação e à porta de um escritório que por acaso não sei do que se trata, estava um senhor a dormir no canteiro de flores que pertence a esse mesmo escritório. 
Pelo aspeto, não era um sem-abrigo mas talvez, um sexagenário com um copo de vinho a mais (neste caso, um pacote).
Na minha opinião, o que é lamentável não é tanto a situação em si, claro que é triste e a mim faz-me pensar onde está a família dessas pessoas, os filhos, se os têm... Como devem passar o dia,  se comem, têm para onde ir? É lamentável sim, mas não é tão lamentável como o facto de outro senhor de 50 anos mais ou menos, todo aprumado que com certeza não lhe deve faltar nada sair do escritório, pelo que me pareceu trabalha nesse escritório, para tirar fotografias ao senhor a dormir para partilhar, provavelmente, nas redes sociais ou  fazer uso daquilo de outra maneira. E sem autorização.

É uma grande falta de bom senso, maturidade e compaixão!

Simplesmente, não se goza dessas pessoas nem dessas situações, porque são pessoas que já perderam o rumo da vida.
Eu não sei o que leva alguém para a rua... Sim, na maior parte das vezes, a culpa é das próprias pessoas mas quem somos nós para julgar? Não sei onde estarei amanhã... a verdade é essa.
Que eu tenha sempre sabedoria e discernimento para contornar o pior, mas é preciso saber viver e eu considero que a linha que separa o discernimento do deslumbre é muito ténue. Qualquer um de nós pode cair nas teias da vida e acabar sem nada, perdidos na rua, na droga, na prostituição e na mais gélida solidão.
Nós não sabemos. 
Às vezes, tivemos tudo e acabamos sem nada ou vice-versa e, às vezes, nunca tivemos nada e acabamos sem nada. 
Por vicissitudes da vida ou por própria culpa, isso são vidas muito frias e cruas que quando se entra é muito difícil retornar. Há quem tenha essa força e parabenizo essas pessoas mas há quem não...

Só nos resta ter compaixão e deixar estar. Se não incomoda, deixar estar.

Quanto ao senhor a dormir, tenho a impressão de já o ter visto nas ruas mas também não sei a história de vida dele, até pode viver num abrigo mas como não é permitido entrar alcoolizado nos abrigos, poderá ter adormecido ali. Digo isto, pelo aspeto.  Até podia ter a família à procura dele, não sei... Mas não me parece ser muito lúcido das suas ações.

Só acho que é escussado gozar com essas situações. Tamanha necessidade foi aquela de se levantar da sua mesa de trabalho a rir-se e tirar a fotografia deliciado com a imagem. Pobre de espírito. 

Se realmente estivesse a impedir o bom funcionamento do escritório alguém que o acordasse ou senão, chamavam a polícia municipal e pronto.

Enfim... Sinto vergonha alheia por ver que pessoas que estão bem na vida estejam a rir-se às custas dessas pessoas e situações.

Nem de propósito

Boa noite,

Desde já, quero desejar um bom mês de Dezembro para todos. 

E antes de terminar o dia, gostava de escrever sobre o dia de hoje.

É provável que este dia passe despercebido para muitas pessoas, mas hoje é 3 de Dezembro - Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

Ok, ok... eu não vou falar outra vez de mim. Vocês já sabem e se não sabem, saberão conforme lerem o blog.

Ontem eu vi uma publicação no Facebook, uma publicação que já vi várias vezes e nem de propósito, apareceu-me mesmo quando estava a pensava no que podia escrever.

Esta publicação:

263835288_432905508545012_5732787153536540386_n.jp

Bom... à primeira vista é ridículo, não é? Vender fruta cortada dessa maneira... até parece que as pessoas não têm força para tirar a casca de uma simples clementina ou tangerina.

Mas... antes de comentarem ou reagirem, por que não pensam? Por que não pensam antes de postar essas imagens? 
 
Para uma pessoa sem deficiência até pode ser ridículo, demais. Um absurdo. Mas imaginem, para uma pessoa com deficiência cujas mãos estejam condicionadas, isto ''salva-a a vida''.

Por exemplo, eu tenho a mão direita paralisada (não totalmente)  não tenho pegada fina, não consigo descascar nem cortar algumas frutas, por exemplo: melancia (a minha fruta preferida), kiwi, melão,  meloa... as clementinas eu consigo, por isso eu compro clementinas e não compro laranjas.

Às vezes, no Verão apetece-me comer melancia e eu não consigo cortar e quando eu vivia num quarto arrendado não dava jeito de comprar uma melancia, então comprava essas couvetes de melancia, melão, mamão e deliciava-me toda.

E não é só para pessoas com deficiências, também serve muito bem para pessoas que partilham casa e por isso, não têm frigorífico só para si, pessoas que vivem sozinhas... em estúdios mínimos, para o lanche das crianças, elas acham piada a essas coisas. Pessoas que não comem muita fruta, mas ''vá lá... todos temos de comer fruta, de vez em quando.''

Eu, como pessoa com deficiência, digo que ainda bem que criaram essa alternativa de vender fruta cortada. Foram as inúmeras vezes que desejei comer uma melancia, um melão, um kiwi e não comprei porque sabia que não consigo cortar.

Além disso, permite que a pessoa com deficiência possa comer sem ter de pedir que lhe cortem ou descaquem a fruta.

Vocês imaginam o prazer que uma pessoa com deficiência sente em não ter de pedir ajuda e depender da boa vontade alheia, ainda mais, quando se trata de pedir ajuda para comer...?


 

Imagem: Facebook.

Antes ser burro 1500 vezes do que ser ignorante a vida inteira

Pensamento do dia

Eu não sei tudo nem pretendo saber tudo só num momento porque eu penso que a vida só é interessante quando temos algo para aprender. Que piada terá uma vida quando a pessoa já sabe tudo? Que frustante!

Eu não sei o que é morrer nem imagino como será o meu último dia de vida, no entanto, considero que será quando eu já não tiver nada para aprender. Eu vejo a vida de muitas formas e esta é uma delas.

Contudo, quando eu preciso de ajuda em algumas situações, muito por falta de experiência, algumas pessoas começam a rir-se de mim disfarçadamente, porque talvez é óbvio para elas. Uma vez, dirigi-me a uma instituição e fiz uma pergunta óbvia (agora eu sei que era uma óbvia) e a pessoa que me atendeu riu-se da minha cara. Nunca mais me esqueci. Na minha opinião, apesar do elevado nível de estudo que essa pessoa possa ter, não passa de uma pessoa ignorante porque ninguém começou nada na vida sem fazer bosta. Nenhum jogador de futebol foi bom à primeira, nenhum professor, nenhum médico... ninguém. E talvez essa pessoa lá na sua vidinha e no trabalhinho que tem deve cometer cada bosta uma maior do que a outra...

Posto isto, eu penso que sempre que uma pessoa não sabe, diz-nos que não sabe (mesmo que já a tínhamos ensinado 1500 vezes, mesmo que seja óbvio) e se de alguma forma pede-nos ajuda, devemos ajudar, primeiro porque já houve tempo de nós não sabermos fazer o que a pessoa não sabe hoje e haverá coisas que essa pessoa nos poderá ensinar amanhã.

 

16737074_b7KVd.jpeg

ImagemGoogleImagens

 

Eu intimido alguém?!

Olá. Ça va bien?

Eu sei que há um mês que não escrevo nada. Não tenho tido tempo para escrever. O que é bom porque significa que estou ocupada. Mas tenho que me dedicar mais ao blog, afinal uma das ações que mais me dá prazer na vida é escrever.

Porém, não é disso que se trata este post.

Recentemente, eu percebi que provavelmente, intimido algumas pessoas... e eu pergunto com'é possível?! Não é que eu me considere menos do que os outros, cada um tem o seu lugar no mundo e como tal, eu tenho o meu. Não sou mais nem menos. Eu sou eu. Eu não vou expor a situação porque esta envolve outras pessoas e vocês sabem que eu não gosto de mencionar nomes ou descrever ao pormenor quando há outras pessoas envolvidas. E roupa suja eu lavo no tanque. Obviamente, que tudo o trago para aqui, envolve sempre pessoas, o que é normal mas há posts com os quais eu tenho de ter mais cuidado.

Bem, muito resumidamente, tem havido algumas pessoas que estão interessadas na minha vida, no que eu faço, por onde eu ando, quando, fazendo perguntas e comentários a terceiros meio que com o objetivo de ''controlar''. Não sei o que estão a controlar mas pronto. E às vezes, sentem necessidade de marcar território.Também não percebo qual é o território. Não tenho nada em meu nome. Sou pobre sem património e apenas sou dona da minha vida. Eu e Deus. Amén.

Mas fico estupefacta!

Nunca pensei que eu com o meu 1,46cm, um bocadinho descoordenada fisicamente e etc, etc, etc... intimidasse alguém. Uau! Sinto-me poderosa!! Mentira... não sinto nenhum poder sobre isso. ESTUPEFACTA, sim!  Deve ser o meu sorriso que ameaça.

Tenham VERGONHA NA CARA!!! Tenham 2 dedos de testa e um pouco de consciência! Valorizem-se!! Sentem-se intimidados comigo?! Eu, que  quase caio com uma rajada de vento??  E ainda me sondam para ver a minha reação... Por amor de Nosso Senhor! 

Quando uma pessoa se sente intimidada por outra revela insegurança, que não confia no seu taco.

 

eu.JPG

O meu taco é o meu sorriso
É com ele que conquisto o mundo
É ele que me fortalece
Que me tansforma e regenera

'' LGBT não é pornografia!''

Boa tarde.

Ontem (6 de Setembro de 2019Marcelo Crivella, o Prefeito do Rio de Janeiro mandou que fossem recolhidos os livros em HQ  (histórias em quadrinhos) dos Vingadores da Bienal (evento que ocorre de dois em dois anos, normalmente para expor e discutir acontecimentos culturais: livros, música. Arte no geral), por mostrar um beijo gay, justificando que precisava proteger as crianças desse tipo de conteúdo, porque na sua opinião (ATRASADA) ''LGTBT é pornografia''.

Não sei se alguém sabe disso por cá, mas esta absurda monstruosidade foi feita ontem no RJ em pleno 2019.

Eu soube porque eu sigo o Felipe Neto no Youtube e depois fui ler mais sobre a notícia para saber do que se tratava. Para quem não conhece, ''Felipe Neto Rodrigues Vieira é um YouTuber, empresário, vlogger, ator, comediante e escritor luso-brasileiro. É conhecido por ter um dos maiores canais brasileiros do YouTube, com 34 milhões de inscritos''.

E diga-se de passagem, no Brasil ele é adorado por muitos e odiado por outros quinhentos. 

Eu sigo o seu canal há pouco tempo, e na minha opinião, ele impecável a fazer o que faz. Diverte, informa, entretem, partilha opiniões, cultura e experiências de vida com os seus amigos, familiares, colegas, no fundo com toda a sua família porque todos os que trabalham com ele são uma espécie de família. Pelo menos, é isso que vejo quando assisto aos seus vídeos.

Existe uma transformação e diferença enormes entre o conteúdo que ele apresentava e aquele que ele apresenta atualmente. E, muitas pessoas não percebem isso. Por isso, julgam-no, porque não se dão ao trabalho de procurar, de perceber e de se permitir conhecer como é agora. FN não é perfeito, nem sempre está certo, tem erros, eu também não concordo com tudo o que ele diz em alguns vídeos nem gosto de todos os vídeos mas... e daí? Quem é perfeito??

Bom, ontem FN respondeu à altura à monstrusiodade de Crivella e é por concordar tanto com a sua atitude perante a homofobia do Sr. Prefeito é que partilho este vídeo. Por favor, vejam e ESCUTEM até ao fim.

Eu considero que cada um de nós tem o dever e o DIREITO de fazer isto parar. 

Ser gay não é doença, ser lésbica não é doença, ser transexual não é doença, ser travesti não é doença, ser bissexual não é doença, ter uma orientação sexual diferente não é doença.

A-M-A-R  É  U-M  D-I-R-E-I-T-O  D-E  T-O-D-O-S !!!

 

Homofobia é DOENÇA!

Vejam, escutem, olhem, leiam, aprendam e respeitem!

Tu tens o direito de não concordar e de não gostar, mas não tens o direito de magoar.

Fontes:
Wikipédia;
Google
Youtube

Sinceramente...

Boa noite!
Eu sei que nem devia dar-me a este trabalho, mas fico estupefacta! Pelo menos, um eu sei que foi por essa razão. Ninguém tem obrigação de subscrever o blog de ninguém ou de continuar subscrito se não tiver interesse nisso. Eu própria já fiz isso, já deixei de subscrever blogs, no inicio quando aqui cheguei. Mas, recentemente, reparei que algumas pessoas têm deixado de me seguir aqui, logo depois à publicação aos posts nos quais eu escrevo sobre a minha deficiência. Não posso afirmar que sejam todos por essa razão, como eu disse, uma pessoa eu sei que sim. Mas, pessoal???? Que tem? Eu só estou a escrever. Isto é uma plataforma de blogs onde as pessoas escrevem sobre o que entenderem. Não percebo o que a deficiência do autor interfere nas leituras do leitor... Toda a gente escreve e toda a gente lê, o que tem uma coisa a ver com outra? Hello... eu só quero partilhar o que escrevo. Não pretendo sair daqui e conhecer as pessoas que leem o meu blog, por isso cá m'importo se são grandes, amarelas, pequenas, anões. São pessoas. Até para ler, a pessoa que escreve não pode ter uma deficiência?! Haja paciência. Eu digo que tenho uma, mas não é pelas outras pessoas não dizerem que também têm problemas que não os têm.

Não me sinto mal nem ofendida de maneira nenhuma, porém fiquei estupefacta.

Extremamente desnecessário!

O que  vou contar já se passou há algum tempo, mas ficou-me na cabeça até agora, porque achei mesmo desnecessário. MESMO! 
Acho que era de manhã, ia eu a descer uma rua em direção ao trabalho ou a subir... já não sei. 
Mas ia eu na rua e próximo de mim, ia uma mãe e dois ou três filhos (digo filhos porque sei que são mas não vou mencionar nomes, ÓBVIO). Continuando... uma das crianças ao ver-me, começou-se a rir do meu ''andar''. Explico, eu tenho a perna esquerda mais curta cerca de 2cm, ando bem mas, às vezes, puxo um pouco, quando mais enferrujada, cansada, doente... isso também depende das pessoas, há pessoas que são distraídas, outras que veem todos os pormenores.
Então... eu ouvi a criança a rir-se e a dizer: ''aquela rapariga anda assim...'', imitando-me. Nisto, a mãe dá-lhe um estaladão! E disse: ''Não gozes! Aquela pequena tem um problema.''... eu não concordo com isso. Eu concordo que, um corretivo só faz é bem. Mas não é preciso um estaladão. A criança ficou atordoada... nesse caso, acho que a mãe chegava a criança para junto de si e explicava o porquê do meu ''andar''. A criança riu-se de mim, mas eu nunca levei isso a mal vindo de crianças. Quando eu também era uma, levava. Mas... agora depois de adulta, basta olhar para as crianças, como quem diz ''eu sei que te estás a rir de mim'' toda séria, que elas param ou se não eu pergunto ''o que é?'' e elas fogem rindo-se e eu a rir-me também. E o que tem? Criança é assim mesmo. Às vezes, perguntam-me porquê que eu nasci assim, eu respondo que saí assim da barriga da minha mãe e  não tem cura, pronto. Não é preciso mais conversas!
Com crianças, a resposta mais simples e verdadeira é a melhor! 

Até porque elas (crianças) não vão assimilar muita explicação. Elas pensam um bocadinho no assunto e aceitam na boa. Na história que contei, era só isso o necessário a fazer-se. No entanto, a mãe esteve errada dando na criança, porque não a ensinou nada.
Há pais que não mexem uma palha para corrigir os filhos, outros que quase os arrebentam de pancadas. 
Querem saber? Antes uma criança do que um adulto. 

 

 

agressivo-620x428.jpg

Imagem: Google

Sobre mim

foto do autor

Calendário

Março 2024

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Frase do Mês

Ler o post

Informação

A maioria das imagens e vídeos utilizados no blog são retirados da Internet. No entanto, se for o autor de alguma imagem ou vídeo e não permitir a sua utilização, por favor envie e-mail ou deixe nos comentários que logo que possível serão retirados.
Blogs Portugal

Escrito antes

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D