Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Na rua de todos os segredos

mau feitio, 04.11.18
Na rua de todos os segredos,
 
Mora o Passado que deixou de sair de casa há muito,
 
Sentado na taberna com o seu copo de vinho meio cheio está o Esquecimento, que, ainda se lembra de quando era novo.
 
A ver quem passa por detrás das cortinas de renda minuciosamente bordada à mão, está a Dona Saudade. O senhor doutor recomendou-lhe beber 2L de água por dia para compensar a imensidão que chora todo o dia.
 
A lavar a valeta com o sangue das feridas abertas, pode-se ver a Dor.
 
Lá no cimo do monte espreita-se a Memória, que se esqueceu do caminho de volta.
 
Se virarmos a esquina está a menina Recordação a fazer recados à senhora Lembrança.
À esquerda, está o anão chamado Medo, o rapaz passa o dia a tremer, não se sabe porquê. Diz ele que é segredo.
E, pela rua abaixo de sacola às costas, meio adormecido, com o rosto a escorrer de lágrimas, vai o Coração.
Pois, perdeu a menina dos seus olhos, a sua Felicidade. Foi-se embora sem avisar ninguém.
Em tempos, morou na rua a linda Alegria,
Filha da senhora Esperança, dona da mercearia e do senhor Contente,
Mas, após o desaparecimento misterioso do menino Feliz, filho mais novo do casal.
Ninguém sabe direito o motivo, mudaram-se de moradia.
Dizem as beatas pouco coscuvilheiras que foi a impiedosa Maldade,
É poderosa e tornou-se dona da cidade.
Com ela, vieram o seu marido Rancor, os filhos Ira e Ressentimento e, ainda a pobre sobrinha Solidão cuja mãe faleceu, a Infelicidade, irmã da Maldade.
Na rua de todos os segredos, ninguém sabe de nada,
Passam-se coisas esquisitas mas toda a gente diz que é segredo.
Os únicos que podem saber a história da rua são o passado e o medo.
Mas, o passado diz que não vale a pena falar no que já passou e o medo só treme o dia inteiro.
A Saudade chora rios e mares toda a vez que se lembra.
A Recordação ainda é menina, a Lembrança é velha, diz que quer viver o fim da sua vida em paz.
O Esquecimento faz-se de esquecido e a Memória ainda não regressou a casa.
A Dor tem as feridas abertas, recusa-se em contar seja o que for.
Restam as beatas Maledicência e D. Maria Cusca que dizem tanta coisa, sabe-se lá o que é verdade.
No fundo, toda a gente sabe de alguma coisa mas ninguém conta nada.
O presente arranjou emprego noutra localidade e o comboio do futuro vem atrasado.
E quando se pergunta à rua o que lhe aconteceu, ela diz que é segredo.
 
 


Éramos e não sabíamos

mau feitio, 14.10.18
Quando estávamos, queríamos partir. 
Hoje, depois da partida, desejamos voltar.  
Mas já não nos é possível,  
O tempo não nos permite juntar o que se perdeu.  
A vida corre e o mundo gira.  
Hoje já não és meu... e eu não sou mais tua. 
Quando éramos felizes, pensávamos que éramos tristes. 
Hoje, a felicidade é um presente, mas muita vez, perturbada pela dor 
Que nos invade, que nos pisa, que nos atormenta, que nos tortura. 
Que saudades...!  
Saudades de sofrer?  
Sim. 
Estava perto. 
Agora estou longe. 
Mesmo sabendo, que não há dor maior do que estar longe do tão perto de ti. 
Que a dor me explodisse o coração. 
Era irrelevante. 
Toda a dor é suportável quando estamos perto, mesmo que o perto seja distante. 

 
 
 
Imagem do Google Imagens
 

Todo o sonho

mau feitio, 02.03.18
Todo o sonho, no começo é desengonçado
Desajeitado, desarrumado, disparatado, indisciplinado
Todo o sonho, no começo é confuso e pouco planeado
Mas todo o verdadeiro sonho
É um sonho,
É paixão,
É alma!
Às vezes, pequeno, grande…
Mas não faz mal porque quando o sonho é mesmo sonho
Devagar, se vai clarificando, encontrado um jeito, se engrandecendo,se vai unindo e limando pontas,
Se é sonho é possível!
Se é sonho é louco e incompreendido
É apaixonante e devorador
Mas, ao mesmo tempo, é calmante.
Se é e quando sonho, nos consome por inteiro
Mantém-nos sempre acordados e desesperados,
Quando o sonho existe, ele não nos deixa e nos cansa
Deixa-nos em farrapos e mesmo os sonhos falhados
Valeram a pena!
Não há sonhos inúteis, todo o sonho tem uma lição.
Foram sonhos, foram vida, foram luta!
Se é sonho é vida!
Se é vida é para viver,
No momento em que se sorri ou que se chora
É sonho.
É esperança.
É vida!
Só quem realmente sonha é que conhece o poder do sonho!
Quem sonha é rico, quem não, ri-se do sonho do outro e despreza-o.
Quem não sonha é pobre. Deixa-o fugir.
Quem sonha… Ah! Quem sonha, pode cair, partir-se ao meio,mas nada, mesmo nada o faz desistir!


Imagem do Google Imagens/ Filme Up Altamente

Link adicionado:https://www.youtube.com/watch?v=EoiiIo0rVck

Meu amor ❤

mau feitio, 16.10.17
 
 
Meu amor,
Quem diria que íamos ficar para sempre juntos
E que o"para sempre" é o agora.
E o agora é só um instante,
O instante mais curto de todo o sempre.
 
Vem meu amor!
E voa... voa...
És livre,
E a tua liberdade é o que mais amo em ti.
Voa, mas volta
 
Sou tua todos os segundos que me desejares.
E do mundo se assim o sonhares.
Sonha, voa, volta.
Volta, voa, sonha.
 
Eu estou aqui!
A sorrir para ti...
Porque não há outro que caiba em mim.
 
Meu amor,
Vai,voa livre
Meu amor,
Volta livre.
 
Sou tua...
Eu estou aqui!
Vês?
Sentes?
Estou a soprar-te... a limpar-te a saudade.
 
Meu amor,
Cura-me.
Vem...estou de braços abertos.
 
Meu amor,
Eu amo-te!
 
 
 
Imagem do Google Imagens
 

Poesia instantânea

mau feitio, 13.02.17

Há um tempo

Que parece que o tempo não passa

Parece que descansa

Um tempo gostoso

É o tempo de criança, da juventude

Dos amigos, dos amores perfeitos, da inquietude

Que tempo maravilhoso!

Há um tempo

Que parece que o tempo não passa

Parece que descansa

É o tempo bom da vida

O momento do mundo quando sorri

Pela alegria repartida

E vê quantos sonhos cabem em si.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autobiografia poeticamente falando

mau feitio, 27.11.16
 

Não sou pessoa de sentimentos contidos;
Amor, ódio, raiva... seja qual for,
Em mim nada se contém.
Tudo transborda de prato cheio.
E tudo se vê.
Muito menos sou de falsidades.
Aqui impera a verdade!
 
Não sei sorrir meramente por educação
Não sei agradar se não me agrada,
Honestamente... o '' politicamente correto'' que se dane!
Não sei rir silenciosamente, nunca aprendi a fazê-lo.
Jamais controlarei o meu riso e o meu choro,
Mesmo que digam que sou inconveniente ou fraca.
Emoções comedidas não cabem em mim.
Ou sinto com tudo ou não sinto com nada!
 
Revoltar-me-ei sempre que necessário.
Pois são das revoltas que se faz a História, o novo tempo...
Que haja revoluções para que o amor seja rei.
E que se perca a vergonha de amar.
E a única vergonha seja da vergonha de amar.
Obedecer?! Recuso-me!
Sofrer? Sempre! Se for essa a única condição que tenho para viver.
Estarei sozinha sempre que a solidão precisar da minha companhia.
E acompanhada se o tempo for bem empregue.
 
Dar-me-ei de corpo e alma e olhos fechados aos de coração puro e gestos verdadeiros para comigo.
Mergulharei de cabeça nos amores e amizades inteiros e carregadas de emoção.
Infortunados serão os que me tentam prender e usar a seu belo prazer, os que me pisam e que me rebaixem.
A seu tempo sentirão o peso do que sinto.
Amarei e odiarei na mesma medida tão intensa e profundamente todos os segundos da minha existência, com todas as células e veias do meu ser e com todos os sentidos em harmonia ou em total desarmonia.
 
Com pensamentos vingativos, por vezes.
Quem nunca pensou em vingar-se?
Ainda habita em mim uma enorme incapacidade de perdoar, porque é imperdoável o que se corrompe dentro de mim.
Enfim... De forma completamente imperfeita, errarei; magoando, ofendendo, tropeçando, às vezes julgando porque estará a mentir quem diz que nunca o fez.
Que da boca sai impulsivamente o que o coração verdadeiramente não sente.
E depois virá o arrependimento que me inundará o ser e, entre lágrimas e palavras de perdão, pouco ou nada poderá ser feito.
 
Os erros cometidos um dia, por mais dolorosa que seja a dor plantada em ambas as partes que perturba a memória nas horas de paz, por piores e imundos que tenham sido os meus atos e mortíferas as minhas palavras fazem parte da minha história de vida e não da minha vida hoje porque hoje é tempo de ser novo! De continuar. E hoje não sou o que fui ontem, porque hoje eu evoluí. E não há pessoas iguais a ontem.
Eis um dos maiores consolos da vida: a regeneração.
Mas pouco ou nada me inquieta o que se diz e não se diz. Nada nego nem nada assumo.
E, assim consertando os desacertos da vida, irei pela estrada fora, deliciando-me a cada passo novo.
Fortalecendo-me a cada queda que der.
Sendo desmedidamente feliz nos encontros, miseravelmente fraca nas despedidas e desesperadamente ansiosa nos reencontros.
 
Que Deus me fez de espírito livre e a vida conspirou a favor, menina-mulher de sorriso cativante e olhos comprometedores. A coragem e determinação me fazem mulher e a doçura, menina. Sem amarras nem correntes que me prendam à monotonia do ficar por medo de partir em busca do novo, do inesperado, mesmo que isso seja sinónimo de todo o sofrimento que possa se abater sobre mim.
 
E esta é a forma mais bela, genuína e completa de dizer quem sou.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Pessoas tóxicas - desintoxica-te!

mau feitio, 26.11.16
 
Na tua vida haverá sempre:
Aquele que saberá mais de ti do que tu próprio, o que é o melhor para ti mais do que tu, por onde deves ir e o que deves fazer até o que comer;
Aquele que saberá sempre das tuas possibilidades, sejam elas quais forem, mais do que tu próprio;
Aquele que te analisará ao mais ínfimo pormenor e dizer que estás totalmente errado;
Aquele que se oporá a tudo o que digas;
Aquele que te descredibilizará à frente de todos e dar-te como coitado, despreparado, falido, infantil, ressabiado, frustrado, fraco e ignorante;
Aquele que terá vergonha e receio de ser teu amigo ou apenas de mostrar que gosta de ti mesmo que o teu único defeito seja não ter um dente;
Aquele que influenciará ou se deixará influenciar contra ti;
Aquele que te vai humilhar e ofender em público;
Aquele que duvidará das tuas capacidades e competências, por mais que digas e mostres claramente o contrário;
Aquele que te achará um grande problema;
Aquele que fingirá não te conhecer;
Aquele que te dirá que és uma pessoa melhor sem tu precisares mas ele pensará que precisas;
Aquele que se compadecerá com a tua dor sem dor nem motivo aparente;
Aquele que terá muita pena de ti que até te dará dó;
Aquele que fará caridade contigo por não poder fazer a sério;
Aquele que de uma pequena ajuda que te deu, vai fazer crer a todos que te salvou a vida;
Aquele que se incumbirá de ti sem teres pedido.
 
Nós todos somos assim, de vez em quando, porque somos curiosos por natureza e gostamos de pôr o dedo no que é dos outros e dar a nossa opinião. Enfim... somos seres humanos e pessoas, por norma complicadas mesmo que digamos que não. Mas haverá sempre aquela pessoa que se ocupará integralmente da tua vida e da dos outros. E, talvez nem saiba o que fazer com a sua vida.
 
Permite-te evoluir com os outros, mas não permitas que te controlem.
 

Encontra o teu próprio equilíbrio, quem és e mostra!
 
 
 
Do meu perfil no site kdfrases