Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Há mais fantasmas do que vida em mim

mau feitio, 05.09.19

Ontem entrei na igreja na qual eu sempre entro quando vou à cidade. Fui lá chorar. No caminho antes de chegar, já era esse o meu intuito, ir à igreja chorar. Assim ninguém me vê. Ensinaram-me a não chorar à frente das pessoas, porque nos julgam fracos. Eu já sou julgada de tanta coisa (também julgo e muito!) que mais um motivo menos um, tanto faz. Mas desde que duas pessoas me fizeram enxergar como era vista, eu tento chorar sozinha, sempre. 
Enquanto estava sentada num dos últimos bancos de trás, ao lado de uma barata que inaugurei desde logo minha amiga. Até lhe dei um nome mas não me lembro. 
Bom, enquanto estava eu ao lado da minha amiga e chorava silenciosamente para não interromper a missa que decorria, olhava para as pessoas de muita ou pouca fé, porém com fé. Considero que sempre que alguém entra na casa de Deus é sempre com fé, em busca de algo, embora não se saiba o quê e não se tencione buscar nada.
Olhava as pessoas, observava os pormenores ao meu redor, ao mesmo tempo, que me perguntava qual é a razão divina para ser como sou e encontrei uma resposta: não há. Não há uma razão divina para quem nasce com uma deficiência, assim como, para quem morre cedo, para quem já nasce morto, para a fome, para a violência... não há razão divina. Só a ciência consegue explicar milhões de situações que ocorrem na nossa vida, no nosso dia a dia. A ciência, a Natureza e a falta de capacidade dos homens de saber viver.
Mas aí a gente vive... mesmo assim. Mesmo assim, não se desiste. Mesmo assim, é a Deus que procuro na agonia, na tristeza, na solidão, no desespero e na alegria. Não sei bem porquê, não tenho respostas para quase nada na vida da parte Dele. Mas tenho de me agarrar a algo, tenho de me segurar em algo. É na mão Dele que me seguro, que me sustento, mesmo que Ele não me dê razões, eu acredito. 

Merecias que eu não acreditasse em Ti, ouviste?! 

Mas, eu acho que a vida é um propósito cheio de outros propósitos e se mesmo sem uma única razão eu Lhe procuro, haverá um propósito que espero um dia compreender. 

f.jpg

 

Imagem do Google Imagens

 

Reflexão

mau feitio, 02.06.18

Já passaram as dores, as tristezas, as quedas,os choros, a solidão do passado mas ficaram as lembranças, as memórias e essas também doem e como doem... por mais que eu descreva, explique nem mesmo que eu desenhe, mesmo que seja contado com todos os pormenores… só eu, só eu e Deus, como se costuma dizer, é que sabemos. Que agonia! Que agonia não ter ido, mas eu fui, apenas parece que não fui. Parece que fiquei suspensa numa bolha e fui mandada para longe e assisti à minha vida a acontecer sem a poder comandar. Por mais que eu queira esquecer, eu nunca vou esquecer. Nunca me vou curar. Não há cura para as marcas da vida, para as cicatrizes que ficam depois das feridas. Não há remédio. Só existem analgésicos que amenizam a dor temporariamente, mas de vez em quando, lá está ela a latejar, a doer, a pisar, a magoar, a dizer: ‘’tu foste fraca!’’, ‘’não conseguiste! Não és nada!’’, ‘’devias ter vergonha!’’  e a zombar de nós. Os outros que nos veem a sofrer, pensam que somos fracos mas, na realidade, os outros são apenas os outros e só se compreende a dor dos outros, pelo menos, só nos calamos, quando sofremos, quando a vida nos abre feridas e deixa as suas marcas.
Até lá, somos os mais fortes, os invencíveis e os mais idiotas também por pensar que não nos vai acontecer connosco. 

Dicas para aproveitar o tempo, antes que ele se aproveite de ti.

mau feitio, 21.08.17
Ok... todos nós já tivemos momentos da nossa vida que, por alguma razão, estivemos mais sozinhos do que em companhia. Às vezes, não tem nada a ver com o facto de sermos antissociais ou sermos odiados pela sociedade. Há momentos assim na vida ou simplesmente, dias e horas mortas em que não há nada para fazer ou até mesmo uma pessoa cuja personalidade prefira estar mais só do que acompanhada. E não, isso não é anormal. É uma escolha de vida. Mas, por vezes, temos de encarar o tédio por não termos outro remédio, certo?
Por isso, tive esta ideia de fazer uma lista com algumas dicas para passar o tempo com qualidade em simplesmente desperdiça-lo, quer no trabalho (DEPENDE DO TRABALHO), quer em casa.
Cá vamos nós... no trabalho, se tu te encontras naquela situação em que tens muitas horas mortas, por isso, passas muito tempo sentada/o (como eu) eis algumas ideias:
 
·       Aprende algo novo (um idioma, receitas, por exemplo), algo que tu possas aprender no teu local de trabalho. Certamente, não vais praticar como plantar uma árvore se trabalhas num escritório, porém, podes ver como se faz se tiveres acesso à Internet ou se tiveres um livro.
 
 
·       ''Visita" um país. Qual é a tua viagem de sonho? Paris? Londres? Caraíbas? Nova Iorque? Então prepara a bagagem. Como? Um caderno, uma caneta, Internet ou o guia do país (lugar) ou ambos serão tudo o que precisas para a viagem. Tu podes conhecer o mundo todo sem saíres do lugar,  ou melhor, até saíres. Porque se ainda não saíste, não quer dizer que não saias. Enquanto isso, podes preparar a tua viagem. ☺
 
 
·       Escrever é um ótimo antisstress. Não precisas de ser um expert na matéria. Escreve sobre o teu dia, os teus pensamentos, as tuas ambições...  cria um blog. Faz uma lista de coisas a realizar nas férias ou daquelas loucuras que sempre quiseste fazer.
 
Não estejas sempre sentada/o.
 
 
 
·       Aproveita para organizares o teu ambiente de trabalho e para teres novas ideias para melhora-lo.
 
 
Estuda e aprende mais sobre o teu trabalho. Por exemplo, o meu trabalho consiste em receber turistas e isso não é algo previsível. Podem entrar 20 pessoas numa hora, como posso não receber nenhum gato pingado durante 3 horas. Então... eu, como tenho ao meu dispor Internet e PC, estudo inglês e outras línguas, por exemplo. Nunca deixo perder o hábito. 
 
·       Ler. Ler é sempre uma boa opção para passar o tempo.
 
 
·       Atualiza-te sobre o mundo à tua volta.Cultiva-te. Dica: faz jogos de cultura geral.
 
Bom, para o contexto de trabalho, são algumas ideias que podes pôr em prática. Todos os dias faz um pouco. Também podes escolher por não fazeres nada e se for essa a tua escolha,  mas tem atenção à postura. Sorriso na cara. Mantém-te atento ao que se passa ao teu redor. Mesmo que estejas intensamente aborrecida/o, arranja forma de não transparecer. Lembra-te de que estás no teu local de trabalho e não na esplanada do café.
 
E agora, em casa... tu és rei/rainha e senhor/a! E podes fazer tudo o que escrevi acima: aprender novas coisas, organizar e otimizar o teu ambiente, escrever, pesquisar sobre algo que queiras conhecer, ler, atualizar-te...e mais, podes sair, fazer desporto, ouvir música, ver filmes, comer, dançar. Estar com crianças e animais é muito bom. Podes voluntariares-te para ajudar em alguma causa, se tiveres jardim, podes dedicar-te à jardinagem ou a outra atividade qualquer que te leve para o meio da natureza. Há milhares de coisas que podes fazer em casa e nos teus tempos livres. É só pensar, imaginar e realizar. Eu sei que nem sempre ou nem todas as pessoas têm possibilidades financeiras para gastar dinheiro na rua e...  nessas alturas pensamos:  '' vou sair para ver toda a gente nas esplanadas, a comer, a beber... e eu não posso ''. Só isso, às vezes, prende-nos em casa. Mas... podes fazer o teu piquenique... preparar um lanche e ir para um jardim, um parque... levar a tua playlist ou um livro ou ambos e descontrair. Capiche? ;-)
 
A ideia essencial é não deixar que o tempo e alguma solidão que possas estar a sentir tomem conta de ti. Tu é que tens de ter as rédeas do teu tempo.
Pronto, espero que tenhas gostado das minhas ideias. Já deves saber isso, mas pronto... 😉😄😀☺😎
 
Só um conselho: se te sentires sozinha/o, muito mesmo, procura ajuda e faz de tudo para contrariares esse sentimento. Não a alimentes. Cuidado com a solidão. 🖤 vai contra essa vontade monstruosa de te fechares porque quando sentimos-nos sozinhos, tendemos a isolar-nos ainda mais. Não faças isso. Mas não estejas com pessoas só para não estares sozinha. Encontra um equilíbrio. Pede ajuda.
 
 
Mas porquê que escrevi isso? 
Porque já me senti extremamente sozinha, mas naquela altura, não tive o discernimento preciso para não me enterrar e deixei que esses sentimentos tomassem conta de mim por completo.
 
 


 
 
 
 
 
 
 

Catástrofe emocional

mau feitio, 30.11.16
 
Hoje é daqueles dias em que o vento nos traz o passado, a saudade, a dúvida do que poderá ser (se for), a culpa por ter errado, o medo, esse grande fantasma, que nos assombra e que nos rouba toda a confiança, algo que já é difícil de manter firme em tempos de catástrofes emocionais…como seria se… nunca saberei. Por vezes, antes de adormecer, os pensamentos me atormentam e sinto-me presa, sufocada. É como se sentisse que nunca mais me vou levantar e seguir… sinto que tenho o corpo acorrentado. Pergunto-me inúmeras vezes se vou sair daqui, se isto vai melhorar, se voltarei, se vencerei, se… se… se…
 
- Ó meu Deus quem fui eu e o que sou? Nada de respostas, nem as minhas nem as Dele.
 
Vocês já se sentiram à beira do abismo, que não pertencem ao lugar onde se encontram? Eu já. Todos os dias desde há anos para cá. O arrependimento não mata (antes matasse) mas relembra-te todos os dias dos teus erros como se estivesse a fazer troça de ti. Sempre que tu descansas, lá está ele a lembrar-te que erraste…
 
-  vai-te embora! – ordeno-lhe.
 
Mas ele continua aqui a martelar-me dentro da cabeça. Se fosse só isso…, mas não é. Sempre que tomo forças para espreitar a vida, lá me cai uma pedra em cima e haja forças para tira-la outra vez, e outra vez, e outra vez…
Diz-se que Deus não nos dá mais do que possamos suportar, mas já não está bom? Alivia um pouco, sim?
 
Eis a minha questão: Se nos sentimos tão mal com o nosso presente, onde nos encontramos, porquê que não voltamos ao ponto de partida, porquê que Deus nos segura?
 
Eu penso que a nossa vontade não é mais nem menos do que a vontade de Deus plantada por Ele no nosso coração.


Imagem do Google Imagens