Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Elis Regina

mau feitio, 21.01.19

Sábado passado (anteontem) eu vi o filme Elis, mais uma das milhões de homenagens à cantora brasileira Elis Regina. Entre tantos atores, a atriz Andréia Horta  fez de Elis Regina, no filme e é absolutamente íncrivel as semelhanças entre ambas. Há momentos do filme e fotografias em que a atriz parece ser a própria Elis. 
Eu ''conheci'' a Elis Regina através do programa A Tua Cara não me é Estranha, quando um casal de famosos imitou a Elis em dueto com Tom Jobim, cantando Águas de Março. Gostei imenso da canção e, desde daí, fui à procura de outras canções da mesma. Há poucos dias atrás, vi que iam passar o filme na Globo, fui pesquisar e acabei por vê-lo. O filme conta um pouco da vida pessoal e carreira da cantora, digo um pouco porque a vida de qualquer pessoa é muito maior do que 1h54 minutos, mesmo assim, contém o mais importante, o que foi possível de mostrar. Eu adorei o filme, se bem que, na minha opinião,  penso que poderiam ter colocado as datas dos acontecimentos ao longo do filme. É evidente que, se percebe o tempo passa, mas podiam ter colocado a data para termos a noção em que ano se deu tal acontecimento. Pois bem, por curiosidade eu fui pesquisar mais sobre Elis Regina. Portanto, o meu fim de semana foi ''conhecendo'' Elis Regina. Matei metade da minha curiosidade, mas ainda quero saber mais sobre a pimentinha, nome dado a Elis pelo seu temperamento contraditório. Eu vou deixar aqui em baixo os links de onde eu estive a ler. É bonito ver como nasce o artista e as dificuldades por que passam até chegar à glória que,  por vezees, dura tão pouco tempo. Não quero dizer que o artista de hoje não sofra, porque sofre e muito. Acredito. Mas como o artista em 1960, 70's e anteriormente a isso? Não creio. Eu recomendo a ver o filme e a ''conhecer'' Elis Regina, considerada por muitos a maior cantora do Brasil. Com uma vida tão pouca conseguiu emocionar e ''parar o trânsito''.

 

"Poucas pessoas sabem quem realmente descobriu Elis. Foi um vendedor da gravadora Continental chamado Wilson Rodrigues Poso, que a ouviu cantando menina, aos quinze anos, em Porto Alegre. Ele sugeriu à Continental que a contratasse, e em 1962 saiu o disco dela. Levei Elis ao meu programa, fui o primeiro a tocar seu disco no rádio. Naquele dia eu disse: Menina, você vai ser a maior cantora do Brasil. Está gravado."

Walter Silva

Links e fontes: https://www.mensagenscomamor.com/biografia-elis-regina
Wikipédia
https://www.estudopratico.com.br/biografia-de-elis-regina/
https://www.youtube.com/watch?v=YnAyyho01PM&t=1166s

1_dmjgc_FxJQbh0nZ9UA5XPQ.jpgImagem do Google Imagens

 

602684.jpgImagem do Google Imagens

P.S- Eu peço desculpa por alguma falha de informação ou erro, fazer sínteses e resumos nunca foi o meu forte.

 

Mary Quant

mau feitio, 30.12.18

Eu não sabia que Mary Quant tinha sido estilista, muito menos, que tinha desenhado para um modista de chapéus... que ignorância a minha! Agora, eu merecia um pontapé no meio das fuças! Sabia que, a senhora tinha popularizado a minissaia, mas estava convicta de que tinha sido apenas uma jovem rebelde que vestiu uma saia mais curta do que era visto na época e fez com que se começasse a moda do uso da minissaia. Mas não. Mary Quant criou a minissaia, pois abriu a sua loja onde produzia e criava, pensando no público jovem. Espetacular, não? Hoje em dia, Mary Quant tem 84 anos. Ao longo da sua carreira, os seus trabalhos foram reconhecidos e merecedores de vários troféus. Incrível! E eu aqui a pensar tudo ao contrário. É caso para se dizer que, conhecimento nunca é demais. Sempre que pensamos saber algo, aí é que devemos procurar saber se estamos certos. Porque nunca sabemos tudo. Partilho convosco um resumo que encontrei sobre Mary Quant.

 

Estilista inglesa nascida a 11 de fevereiro de 1934, em Londres. Durante dois anos, já depois de ter cumprido os estudos na Escola de Arte Goldsmith, entre 1950 e 1953, desenhou peças para um modista de chapéus dinamarquês. Em 1955, quando tinha apenas 21 anos, abriu uma loja em Londres, na zona de Chelsea, tendo o marido e um amigo como sócios neste negócio. A loja conheceu de imediato um grande sucesso e, em apenas sete anos, a empresa expandiu-se por quase toda a Europa e até aos Estados Unidos da América. A empresa de Mary Quant produzia vestuário em grande escala a nível mundial.
As criações de Mary Quant inspiravam-se e destinavam-se essencialmente às tendências jovens, o que na altura, início da década de 60, representou uma grande viragem no mundo da moda internacional, já que os costureiros de nomeada apostavam fortemente na alta-costura. Nessa época, as roupas desenhadas por Mary Quant eram similares às usadas pelas pequenas bailarinas, já que incluíam curtas saias de pregas, meias brancas e sapatos com fivelas brancas. Estava assim criado o que ficaria conhecido como Chlesea Look, que contribuiu para a vulgarização da minissaia em todo o mundo e dos collants muito coloridos.
Em 1966, o trabalho e o talento demonstrados por Mary Quant ao longo da sua carreira começaram a ser reconhecidos, tendo sido nomeada Membro da Ordem do Império Britânico, seguindo-se, até ao final da década de 60, uma série de outros troféus.

...

Ainda em 1966, publicou uma autobiografia, intitulada Quant by Quant (Quant por Quant).
No início dos anos 70, Mary Quant deixou de fabricar vestuário com o seu nome, mas continuou a desenhar roupas, peles, lingerie, panos em linho para a casa e armações de óculos. Simultaneamente, manteve-se à frente do negócio de cosméticos que tinha iniciado em 1966, que se caracterizava também pelo design dos produtos, onde predominava o preto e o prateado, sempre ornamentado com a margarida que se tornou a imagem de marca de Mary Quant.
Em 1973 e 1974, o Museu de Londres teve em exibição uma exposição de Mary Quant que retratava a moda dos anos 60. Posteriormente, entre 1976 e 1978, Mary Quant desempenhou funções no Conselho Consultivo do Museu Alberto e Vitória, em Londres.

 

2-mini-saia-skirt-twiggy-anos-60-retro-vintage-mod

Sobre a imagem:
A imagem foi retirada do Google Imagens e retrata o uso da minissaia nos anos 60.
Fonte: Infopédia.

P.S- Se vocês souberem de mais algum detalhe/informação sobre Mary Quant ou sobre a minissaia, ou até mesmo, se eu estiver errada, partilhem comigo.  gosto imenso de saber sobre os nomes que fizeram história.

 

 

 

 

 

Os canais de Youtube que eu sigo

mau feitio, 05.12.18

Olá, pessoal!

Hoje vou mostrar e falar sobre os canais de Youtube que eu sigo. Primeiro, eu nunca fui adepta de assistir a canais de Youtube, de ficar ali a ver as pessoas a mostrarem o que usam e não usam, a sua roupa, etc, sempre achei aborrecido, mas... depois houve uma pessoa que eu sempre admirei na televisão que captou a minha atenção no Youtube:

1 - Fernanda Souza. A Mili de Chiquititas de 1997. Foi assim que ''a conheci'', como Mili e é assim que a recordo. E eu admiro-a mesmo! Acho que ela tem um brilho, uma luz... que é só dela e tem uma capacidade de nos alegrar inacreditável! O seu canal tem o próprio nome dela e a Fernanda fala de tudo com a maior simplicidade, alegria, paz... é demais! Tem dias que eu chego à casa e quero rir, o que eu faço? Ponho os vídeos do canal, já os vi tooodoooooos mas, volto a ver as tags de pergunta e resposta porque é impossível não rir com ela. 

img-781083-fernanda-souza20170907161504812461.png

2 - Trocando figurinhas de Naiumi Goldoni. Eu ''conheci'' a Naiumi Goldoni, mais uma vez, por causa de Chiquititas. De vez em quando, gosto de recordar algumas cenas e episódios de novelas que gostei em criança e, certo dia descobri que voltaram a fazer a novela. Naiumi Goldoni fez de Gabi no remake da novela em 2013 e, mais tarde descobri o canal. Eu não gosto de todos os vídeos, porque ela tem muitos vídeos falando sobre maternidade pois foi mãe há pouco tempo e eu não me identifico com o assunto, mas gosto de ver o dia a dia dela com a filha, a princesa Maelle e com o companheiro e etc. Dá para ''conhecer'' muitos lugares do Brasil, porque eles viajam algumas vezes e gravem as viagens. Acho muito aconchegante.

6d3b98f40528ad5bcebf7648ed192594.jpg

3 - GIOH de Gio Ewbank. Eu ''descobri'' a Gio através do marido, o ator Bruno Gagliasso, é muito conhecido entre as novelas da Globo. A última novela onde eu o vi foi Sol Nascente, onde ele interpretou Mário. Daí eu fui às redes sociais e descobri que ele é casado com Gio há cinco anos (penso eu) e são pais da linda e maravilhosa Titi.  E daí e também do Youtube que vai recomendando o que podemos ver, interessei-me pelo canal. Eu gosto imenso, porque Gio tem o canal sempre muito dinâmico e divertido, os vídeos são sempre com convidados. E fala sobre tudo o que é muito bom.

 

Gioh-3.jpg

São os canais que sigo mesmo e os que eu gosto mais. Gosto de ver o que as três têm em comum: falam a partir da sua casa, no seu sofã, no seu quarto, na sua casa e daquilo que eu compreendo nelas é que são pessoas bonitas, seres humanos reais. Eu gosto da pessoa quando ela é um ser humano.  não têm um canal no Youtube só para  falar de moda, beleza e cabelo. Eu gosto disso.  Não estou a dizer que não tenham as suas excentricidades e ''coisas tolas'' como toda a gente tem, além do que até são celebridades e, por isso, podem ter outro nível de vida. Mas, gosto porque variam os assuntos dos vídeos.

É isso, pessoas. Gostooooooooooooooooo muito de vocês. Boa continuação .

Beijs.

 

 

  • Imagens retiradas do Google Imagens

 

 

 

3 de Dezembro: Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

mau feitio, 03.12.18

Bom dia,
Hoje é Dia Internacional das Pessoas com Deficiência e como todos sabem e podem ler no blog, eu sou uma dessas pessoas mas, hoje não vim falar de mim, chega de falar de mim. Enquanto, andava a ler o Feed de Notícias encontrei algo interessante que talvez vocês já viram tal como eu pela Internet, mas mesmo assim, vou partilhá-lo (o link) porque, nós temos a tendência a associar a deficiência a um determinado rosto específico e a um aspeto físico descoordenado e menos harmonioso do que nas pessoas ''ditas normais''. No entanto, nem sempre a deficiência ou qualquer doença tem um rosto específico e, em alguns casos, ficamos surpreendidos ao descobrir que determinada pessoa tem algum problema desse género.
De resto, o que posso dizer mais? Não sei se tenho algum leitor portador de deficiência, mas quando se fala de deficiência não se metam comigo! Acredita em ti, que tu consegues, vais conseguir mais do que ontem e não permitas que alguém conduza a tua vida, MESMO que, andes de cadeira de rodas a ser empurrado por alguém, tu é que dizes para onde queres ir e ATÉ ONDE QUERES IR!
Queres escalar uma montanha?! Queres subir uma árvore? Queres nadar? Queres casar? Queres andar de bicicleta? Queres sair de casa? Faz por onde! Eu disse que não ia falar de mim, mas só para vocês terem uma pequena noção da coisa: desde que me conheço por gente, sempre ouvi: ''ela não vai conseguir''. Conseguir o quê? Falar, andar, aprender a ler e a escrever e etc. Eu tenho 28 anos e, ainda hoje, eu ouço isso. Resultado? Eu nunca me calo, se me dão conversa é o dia inteiro. Andar? Ando, pulo, dou pontapés e o blog é a prova que leio e escrevo. E, depois?! São os outros que me dirão o que vou conseguir?! Antes disso, dou-lhes uma ''coça'' , daquelas de criar bicho e medo!  Tinha mais que fazer! Cá para nós, o mau feitio deve ser utilizado nessas situações, façam birra, teimam, ''batam o pé'', mas não se rendam às pessoas, podem não conseguir (não vão consegir tudo, é preciso terem essa noção), mas insistam, tentem e só depois da 123345678901234567890123456789098765443234447887643 vez, aceitem que não dá. É engraçado, porque sempre me vieram com esse discurso ''tens que compreender que há coisas que nunca vais conseguir fazer algumas coisas.'', eu respondia que sabia. Mas não é porque tenho uma deficiência, é porque sou filha de pobre e já daí, os meus pais sempre me conscienlizaram que havia coisas que só podia ter quando eu trabalhasse, porque eles não me iam poder dar. Por ter o que tenho, eu acho que nunca foi preciso que me explicassem muita coisa... devido à educação que me deram, eu sempre compreendi muita coisa pois conseguia transferir sozinha para a minha condição. E tudo aquilo que me disseram que não, eu fiz questão de me informar se era verdade ou descobri por mim. 
Acho que é isso, eu nunca permiti (ou quase nunca) que me dissessem o que podia ou não podia fazer nem faço o que me dizem porque acham que sou uma tola e faço aquilo que me mandam. Por exemplo, uma vez, alguém tentou fazer com que eu pagasse a conta do almoço, como se eu não percebesse nada. - ''Agora, a Dina paga o almoço'', eu respondi: ''pago o meu. Eu não comi do teu prato''. A pessoa não estava à espera... ficou tão envergonhada que não sabia onde havia se meter. Noutras situações, quase sempre, eu respondo ''tá bem''  para não me chatear e depois cá na minha vida, eu faço e deixo de fazer o que me apetecer. 
Bom... já me estou a esticar. Desejo-vos uma ótima segunda-feira e tudo de bom.
Beijs.

Diversity.png

 

Link:

https://www.msn.com/pt-pt/entretenimento/celebhub/as-estrelas-que-ultrapassaram-deficiências-e-atingiram-o-sucesso/ss-BBQjdOj?ocid=spartanntp#image=1

Imagem retirada do Google Imagens

 

Qual é a tua estação do ano favorita?

mau feitio, 15.11.18

Para dizer a verdade, nunca soube responder à pergunta: ''qual é a tua estação do ano favorita?'', porque, na realidade, não tenho. Eu gosto de viver cada estação na sua época. Gosto de ouvir o chilrear dos pássaros e do resflorescer das flores na Primavera. Gosto dos dias quentes de Verão, das festas, dos dias de praia intermináveis, da descontração, das pessoas na rua, de ver os emigrantes a regressarem à sua terra, gosto dos frutos do Verão, gosto de comer chicharros fritos com pão e melancia, gosto dos dias longos.  Gosto da cor caramelizada que o Outono tem, das castanhas cozidas que sabem tão bem! No entanto, eu adoro o frio! O frio, o vento, a chuva bem forte, às vezes, ando à chuva, simplesmente, porque gosto. Quando eu era criança, vestia um casaco de chuva (não sei o nome), gorro e luvas... e ia toda equipada para o pátio de trás da minha casa brincar com o vento, eu inclanava-me para trás, ele empurrava-me para a frente e vice-versa. Éramos grandes amigos!  Gosto da cor do frio, de sentir as mãos geladas  e chegar  a casa e tomar um banho bem quente, beber café  e ficar ali enrolada no sofá a ver filmes ou só olhar para anteontem  a ouvir a chuva. Tem dias em que vou para a janela ver a chuva.  Não gosto muito da época natalícia ,mas adoro o fato de passar muitos filmes nessa altura e eu não perco nenhum e... comer? Senhor Jesus! ADORO TODOS OS DOCES (ou quase todos) e o perú... que delícia! Prefiro-o ao bacalhau, mas a minha mãe faz bacalhau...  Mas assim... dizer qual é a minha estação predileta... eu não tenho! São todas! Adoro o cheiro, os tons de cada uma e tudo o que elas têm para oferecer. Eu gosto de todas, cada uma no seu tempo.

 

 

estac3a7c3a3o.pngImagem retirada do Google Imagens

 

Que título dou a isto?

mau feitio, 03.11.18
Olá, pessoal!

Mais um fim de semana, não é verdade? Aqui está a chover.
Hoje vou escrever sobre os meus ídolos de quando era adolescente. Óbvio que, hoje em dia, já não penduro posters na parede nem suspiro por ninguém, mas como aconteceu a todas as pessoas, na idade da adolescência, também tive os meus ídolos: atores, cantores, futebolistas, etc. Eu comprava todos os meses a revista Bravo para poder recortar as fotografias e tirar os posters.
Bem… e quem foi essa gente que fez o meu imaginário de menina? A ver se me lembro… Cristiano Ronaldo, em primeiro lugar. Eu tinha uma parede dedicada a esse homem. Todos os posters que encontrava, eu colava na parede. Era um mural CR7, penso que nessa altura ele ainda não tinha o 7 associado ao nome… mas de todo o modo, eu adorava-o! Robbie Williams, eu colava na porta do meu guarda-fato, sempre gostei dos Bon Jovi, no entanto, acho que nunca colei nada deles na parede, porque até hoje é o meu grupo musical preferido e não tem nada a ver com os cabelos louros e longos nem com os músculos, sempre gostei das músicas deles.
Mais… eu não me lembro… eu penso que é o mais natural quando crescemos, arrumamos ou pomos para o lixo e esquecemos, eu penso que pôs tudo fora. Quando tinha 13 ou 14 anos, estreou os Morangos com Açúcar, uma série juvenil portuguesa do mesmo género de Malhação ou New Wave como era chamada em Portugal e era daí que arranjava os meus ‘’crushes’’ , das boys band ou band boys que houve na época. E é isso. Uma época engraçada da vida de uma pessoa. Engraçada e ‘’desastrosa’’ em que nós suspiramos por cada um…. horrível! Enfim… faz parte de todos nós.
Hoje em dia… não tenho falta de ar por nenhum dos senhores acima referidos.
Pessoal, resto de bom fim de semana. Divirtam-se. Beijooooooooos.
 
 

FotoJet.jpg

 

 
 
 
 
 
 

Os sentimentos sabem-se quando se sentem.

mau feitio, 02.12.17
Uma vez disseram-me que nutriam carinho por mim. E eu pergunto, para quê que eu preciso de saber disso se nunca mo mostraram, se eu nunca o senti? Nós precisamos de saber ou de sentir? Ou de saber e sentir ao mesmo tempo? É difícil de compreender. Às vezes, basta-nos saber, mas nada se compara com sentir o carinho do próximo por nós. Ambos são importantes, mas o que pesa mais? Saber ou sentir? Eu desejo que todas as pessoas do mundo sejam felizes, mas isso não muda nada nas suas vidas porque eu nem conheço metade da população do meu concelho, muito menos do mundo. Querer a felicidade, faz de mim boa pessoa, mas não significa que eu gosto de todas as pessoas, que nutro qualquer sentimento por elas porque eu não ando com elas, eu não estou com elas, eu não dispenso o meu tempo para estar com elas, para conhecê-las, logo eu não sinto qualquer sentimento por elas, eu nem sei se me despertariam algum sentimento. Eu penso que, para saber o carinho, o amor, a amizade que outra pessoa nutre por nós e vice-versa é necessário sentir e isso significa demonstração, falar, estar,dispensar tempo para conhecer... só assim é que se pode saber o quanto carinho sentem por nós e vice-versa. Para saber é necessário sentir e se nós não sentimos nem demonstramos, não precisamos de ouvir nem dizer.
 

Os sentimentos sabem-se quando se sentem.


Imagem do Google Imagens