Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

''Apenas Mais uma de Amor''

mau feitio, 15.04.19

Qual é a vossa interpretação desta música?

A minha: nem tudo o que sentimos pelos outros tem de ser revelado nem retribuido. E não é porque gostávamos que aquilo acontecesse, tem de acontecer. O que sentimos e deixamos de sentir, só a nós nos diz respeito. É algo nosso que ninguém precisa de saber. Se não correr bem, vamos sobreviver.

 

 

Letra:

''Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar
Subentendido
Como uma ideia que existe na cabeça
E não tem a menor obrigação de acontecer
Eu acho tão bonito isso De ser abstrato, baby
A beleza é mesmo tão fugaz
É uma ideia que existe na cabeça E não tem a menor pretensão de acontecer
Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então
A alegria que me dá Isso vai sem eu dizer
Se amanhã não for nada disso Caberá só a mim esquecer
O que eu ganho, o que eu perco Ninguém precisa saber
Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar
Subentendido
Como uma ideia que existe na cabeça
E não tem a menor pretensão de acontecer
Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então
A alegria que me dá Isso vai sem eu dizer
Se amanhã não for nada disso Caberá só a mim esquecer
(Eu Vou Sobreviver)
O que eu ganho, o que eu perco Ninguém precisa saber''

 


Fontes:

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCQp-Cb3GlHz_JhRW13H7bRQ 

 

Será mesmo amor?

mau feitio, 25.01.19

À minha volta, eu vejo todas as pessoas a se casarem ou a viver juntas. E a minha questão é: será mesmo amor? Eu faço essa pergunta porque eu não vejo amor quando olho para muitos casais. Eu sei que não sou eu que tenho de ver nem de saber, não é da minha conta e que o tempo vai esfriando as relações. Apesar de não saber, eu sei.
Quando digo ''à minha volta'' não me refiro propriamente à minha localização geográfica, mas sim, mundo, sociedade.
Mas, é o que leva as pessoas ou parte delas ao casamento ou a viverem com o/a companheiro/a?
Amor será em alguns casos. Mas e noutros? 
Como disse à minha volta, eu vejo  (e, muitas vezes, ouço da boca de terceiros e dos próprios) um enorme desespero por não serem rotulados como solteirões, tias, sozinhos. E na minha opinião,algumas pessoas fazem-no por medo da solidão, vergonha do rótulo ou apenas continuação do ciclo, porque os bisavós o fizeram, os avós o fizeram, os pais o fizeram, porque chega-se a última determinada idade é hora de resolver uma vida, porque ''fica mal'', porque aconteceu engravidar. E por outras razões. Eu tenho várias amigas que namoram mas ainda não deram o nó por opção e são questionadas por isso. Ah... eu também ainda não dei o nó nem tenho laço, de momento. Mas, no meu caso, diz-se que é porque eu sou deficiente e ninguém me pega.  Claro que não que ninguém me pega. Deve ser pecado ou algo do género. Dizem as ''boas línguas'' que se uma pessoa está solteira e tem mais de 20 anos é porque é deficiente ou p*ta ou cabr*o ou é  mau termino de vida, vai ficar para tia, solteirão ou solteirona...ah... também  há a designação ''fora do prazo''. E, para muitas pessoas quem se casa às pressas para esconder a barriga, porque está na hora, porque morrem de medo de ficar sozinhas e serem rotuladas com os nomes mais hediondos, por questões financeiras, porque não vivem bem com a família é que estão certas. O que para mim, é tudo uma parvoíce! Mas assim se pensa. Eu não digo que estejam erradas, pois '' cada cabeça, sua sentença '' e cada qual tem as suas razões e se vivem bem com a sua vida, deixa viver. Mas, se é amor em alguns casos? Atenção que, isto não é julgamento. Apesar de ser julgada e rotulada porque nasci com uma deficiência. Sinceramente? Eu não me vejo assim, nunca me vi assim e recuso-me a ver-me assim. Eu cá, vou vivendo a minha vida, se encontrar laço para  dar nó, encontrei, senão, tenho a minha vida, os meus amigos, sentindo-me bem... 'tá tudo bem. Pois na minha opinião, não temos de fazer nada à pressa, com medo de repressálias e de rótulos, temos sim, que fazer quando e estamos prontos para isso de acordo com a outra metade. porque o amor é lindo, quando o sabemos viver e sentir. Bom... e vocês o que acham? Talvez, seja eu que não saiba nada sobre o amor.
Sempre a desenvolver o pensamento viva e deixe viver. 
Beijs.

istock_82086545_large.jpgImagem do Google Imagens

 

Pensamento do dia

mau feitio, 09.11.18

Não te esqueças que os outros também existem, mesmo que estejas mal com tua vida. Oferece sempre o teu ombro e escuta-os. Mas, não os esqueças, principalmente quando estás de bem com a tua vida, porque também terás dias menos bons e vais precisar que te confortem. Escuta a tristeza e partilha a alegria. Hoje sou eu, amanhã serás tu.

 

 

Escuta a tristeza e partilha a alegria..png

 

 

28 anos... que horror! Tirem-me deste filme!

mau feitio, 06.11.18

Até já me sinto mais fraca... esta manhã espreitei ao espelho e notei uma ruga num dos pelos da sobrancelha esquerda 28 anos... já? Eu, que adoro chamar os meus amigos cotas de COTAS, estou a caminhar a passos largos para a ''cotice''. Fisicamente, estou há 10 anos nos 15 anos.

- Quantos anos a menina tem? - 27 anos. (a partir de hoje + 1).

- O quê?! Eu dava-lhe 14, 16...

É UMA TRISTEZA! Uma pessoa vai a uma discoteca e vê miúdinhas de 14 anos a entrarem sem problema e eu... com esta idade às costas sou barrada à porta e tenho de apresentar o CC. O que uma bunda grande permite... inacreditável! 

E daí, o que foi que eu aprendi em 28 anos de vida?

Aprendi que, mesmo com 1,46cm de altura (perto do chão) também caio e algumas quedas podem ser fatais. Olhem, aprendi que não vale a pena comemorar este dia com pessoas porque todas as vezes que o fiz, as pessoas estavam com expressão de como se estivessem num enterro, porque na noite passada saíram, porque estavam enjoadas de comer doces ou cansadas. E depois?! Não te convidei para o meu aniversário para anunciares o dia da tua morte. Mas pronto. Eu vi que as pessoas se sentiam obrigadas a estar ali comigo (talvez ainda não encontrei as pessoas certas), então deixei de fazer uma festa por causa disso e vivo um dia normal. Vou trabalhar, estou com pessoas na minha hora de almoço, recebo os parabéns de quem se lembra ou vê no Facebook e quer dar. Quem não quiser dar os parabéns, que vá... isso! Ao fim do dia, volto para casa, estou com a minha família, tenho sempre bolo e amor. Assim, ninguém se sente obrigado a estar comigo. Se for dia que não vá trabalhar, fico por casa ou escolho fazer alguma coisa que eu goste sozinha ou com quem realmente me apraz. Lembro-me dum aniversário em que estava sozinha, acordei, cuidei de mim, saí, fui almoçar fora, penso que fui ao cinema e comprei um presente para mim mesma dentro das minhas possibilidades e digo-vos foi um dos melhores aniversários que passei. Voltei à casa já era noite, jantei, tomei banhoca  e acabei o dia a ver TV ou um filme. Já não sei. Com o meu tempo, dentro das minhas possibilidades, como eu gosto.Nada melhor.  Uma das coisas que aprendi em 28 anos, foi isso. Não impor, não cobrar, não obrigar. Deixar ir. Aprendi que a idade poderá ser um posto, mas a aparência será sempre uma condenação (como exemplifiquei em cima). Aprendi que o importante não é ter as experiências dos outros, mas sim, as minhas porque as deles não muda nada na minha vida. Só evoluímos com aquilo que aprendemos e não com aquilo que vemos os outros viverem nas suas vidas. Aprendi que só é possível cuidar do corpo quando a mente está sã. Aprendi  o pior estágio da solidão não é estar sozinho, é estar com quem nos faz sentir sozinhos e que os passos mais importantes da nossa vida são dados sem ninguém ao nosso lado. Já aprendi imenso mas ainda estou a aprender. Que venham mais 28 anos com tudo o que tiver de vir com eles, estou aqui. A vida quer ser enfrentada de frente.

Se logo à noite, tiver oportunidade de partilhar uma fatia de bolo convosco, deixarei aqui uma ''amostra'' do bolo.

E vocês, como gostam de passar o vosso aniversário?

Beijs.

 

Verão feliz!

mau feitio, 03.09.18
Olá pessoal!

Já entramos em Setembro. O Verão está quase, quase a terminar mas, mesmo assim, vou falar sobre algo que eu vejo que preocupa a maioria das mulheres e que eu acho um exagero. Não acho que seja uma tolice mas, às vezes, passa dos limites da preocupação. Eu estou falando do aspeto físico que tentam obter nesta época do ano. Preocupem-se mais com a aparência do que com os cuidados reais a ter com o sol.
Eu não sou a pessoa mais cuidadosa do mundo mas, ponho protetor 50+ pelo menos 2 vezes quando estou exposta ao sol, bebo água e vou comendo alguma coisa ao longo do tempo em que estou na piscina para não desaparecer. No entanto, aquilo que eu percebo nas outras mulheres à minha volta é a preocupação com a marca de biquini, com o óleo que bronzeia, com a cor do biquini que combina com o tom de pele, com os shorts mini, com a blusinha, com as cicatrizes que se vão ver, com a celulite, com as estrias que se vai perceber, o creme a usar depois para manter o aspeto…. Só 10 minutos dessa conversa e já fico cansada para o ano inteiro. Eu concordo que temos de nos sentir bem na nossa pele e usar aquilo que nos conforta e que gostamos mas, dicordo que andemos uma estação inteira a olhar para isso como se fosse uma obrigação. Afinal, se eu me sentir bem por dentro, sentir-me-ei bem por fora. E, penso que devemos cuidar de nós o ano inteiro para o nosso bem-estar, qualidade de vida e saúde e não para os outros nos avaliarem. 
Eu cá vou à praia para descontrair ou me divertir com amigos, se for o caso. Não me preocupo muito com a imagem que passo. Sinto-me bem, sinto-me bonita e acho que isso se vê. Sentir-se bem com a sua pele é o melhor bronzeado que alguém poder. Eu penso que, essas pessoas que ‘’trabalham’’ arduamente para uma aparência, esqueceram-se de ‘’trabalhar’’ para serem felizes.



 

Ainda que não... eu amo-te!

mau feitio, 27.02.18
Ainda vives em mim. Tão vivo e profundamente profundo.Estranhamente estás entranhado em mim. És a minha droga não consumida, a minha bebida e comida preferidas. Ainda vives em mim porque não te esqueci, porque eu não te quero esquecer, porque se te esquecer eu perco-te e aterroriza-me perder-te. És a minha obsessão e a minha dor, mas tão contrária dor que adoça,que alimenta os meus dias de chuva, plantando exíguas sementes de felicidade regada por gotas de prazer. Ah… que prazer é este, que me mata, que me afoga,que me rasga, que me pisa?! Onde estás tu? Porque que é que eu nunca te tive?Mas eu tive-te sem te ter tido porque eu sinto-te sem nunca te ter sentido. Que razão é esta que me faz amar-te sem te amar? Que amor é este que existe sem existir-te? Quem sou eu depois de ti? Já me procurei e só me vejo em ti,procuro-te e não te vejo. Mas, ainda que não te veja, ainda que não te tenha,ainda que não te sinta, ainda que não me exista em ti, ainda que não te ame, eu não te esqueço porque se te esqueço eu perco-te e aterroriza-me perder-te porque eu vejo-te, eu tenho-te, eu sinto-te, tu existes em mim e eu amo-te!

Imagem do Google Imagens
 

Meu amor ❤

mau feitio, 16.10.17
 
 
Meu amor,
Quem diria que íamos ficar para sempre juntos
E que o"para sempre" é o agora.
E o agora é só um instante,
O instante mais curto de todo o sempre.
 
Vem meu amor!
E voa... voa...
És livre,
E a tua liberdade é o que mais amo em ti.
Voa, mas volta
 
Sou tua todos os segundos que me desejares.
E do mundo se assim o sonhares.
Sonha, voa, volta.
Volta, voa, sonha.
 
Eu estou aqui!
A sorrir para ti...
Porque não há outro que caiba em mim.
 
Meu amor,
Vai,voa livre
Meu amor,
Volta livre.
 
Sou tua...
Eu estou aqui!
Vês?
Sentes?
Estou a soprar-te... a limpar-te a saudade.
 
Meu amor,
Cura-me.
Vem...estou de braços abertos.
 
Meu amor,
Eu amo-te!
 
 
 
Imagem do Google Imagens