Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Ir de férias?


Olá, pessoal.

Antes de começar, quero esclarecer quando digo ''rico e pobre'', não estou a desvalorizar nem a criticar ninguém. Eu concordo e apoio que cada um deve viver de acordo com a sua realidade, sem se sentir mal pelos outros. E aqueles que ainda não tiveram essa possibilidade, não significa que nunca vão conseguir. Claro que vão conseguir tudo o que sonham! E... lembremos que há ricos e ricos e pobres e pobres.

Como vocês sabem, eu estou de férias. Por isso, tenho sido questionada por várias pessoas: ‘’para onde vais de férias?’’ , eu? Eu só deixei de ir trabalhar. Não vou a lado nenhum.Não quero que me interpretem mal, mas nunca entendi a necessidade que as pessoas têm de ir de férias. Eu quero conhecer o mundo, outras culturas, tomar conhecimento, viajar para outros países ou no meu país, claro que quero. Mas,nunca senti a necessidade de sair de férias para um lugar ou país diferente para mudar de ares. As pessoas pobres quando têm férias ficam onde estão porque não têm possibilidades de sair e não morrem por isso, porquê que as pessoas ricas ou com mais possibilidades morrem de tédio por passar as férias por casa?Porque têm dinheiro e dão-se a esse luxo e fazem muito bem. Não estou a julgar.Porém, são duas realidades bem diferentes. Se o rico tem depressão ou stress,põe baixa e vai de férias para qualquer lugar, vai ao psicólogo mais conhecido,se o pobre tem depressão ou stress, não pode pôr baixa porque tem contas para pagar, quando tem férias fica em casa para poupar o gasóleo e guardar o último ordenado que recebeu até então (é verdade), se precisa/quer ir ao psicólogo ou consultar-se com outro médico, avalia minuciosamente o que cobra o seu plano de saúde ou acaba por esquecer qualquer problema e encara a vida mesmo assim. Pessoal,eu não estou a gozar, mas as pessoas com menos possibilidades que não se podem dar ao luxo de mudar de ares, de cometer uma extravagância ou de recorrer anão sei o quê sempre que algo corre mal, saberão do que falo. O pobre não tem tempo nem dinheiro para se sentir desconfortável com alguma coisa. É encarar mesmo assim! Se dói, a gente não ouve a dor. Se estamos mal, pomo-nos logo bons quando vemos o saldo da conta porque não há outro remédio. Um dia, tenciono correr o mundo e eu vou fazê-lo. Mas, por agora ainda sou pobre ainda que trabalhe só para mim, tenho maiores prioridades do que sentir necessidade de ir de férias para qualquer lugar. E, sinceramente eu penso que quando eu tiver essa possibilidade, não serei assim: ‘’estou mal com a vida, vou viajar.’’. Estar estendida numa praia paradisíaca ou a passear pelas ruas dum belo país é estar mal com a vida?! Digam-me o que é estar bem, por favor! Quando eu viajar não será por estar mal com a vida ou porque precisarei de mudar de ares, muito menos, será pelas selfies para postar no Facebook, mas sim, porque estarei bem com a minha vida, onde estou e com tudo aquilo que tenho e quero conhecer o que-está a seguir de mim. Falo do Facebook porque há muitas pessoas que viajam, viajam, tiram fotografias aqui e ali e depois nem sabem qual estátua ou o museu que aparece atrás. Isso é comédia! Não se precisa de ser um Ás em cultura geral, mas convém ler um pouco sobre o país, cidade ou região a visitar para não se morrer tolo e ignorante. Viajar só para se gabar que fomos aqui, ali, acolá... que futilidade! Se algum dia, precisar de mudar de ares porque não estou bem onde estou, não vou de férias, mudo-me de vez. Pois, se eu não me sinto confortável onde estou não é um mês de férias que mudará isso. Algo maior precisa de ser mudado, a começar por nós. Quando tenho um dia mau, como chocolates e enfio-me na cama, por exemplo. Não estou a dizer que nunca cometi ou que não cometo uma extravagância porque toda a gente o faz, de vez em quando.Mas não sei. Eu não me estou a ver a ir não sei para onde, só porque estou de férias ou porque tenho dinheiro. Essa não sou eu. Antes disso, pretendo obter outras coisas. Eu penso assim. Além disso, quando puder fazê-lo de fato, levarei os meus pais a fazer uma viagem se quiserem para onde desejarem depois, as seguintes, irei para onde, como e com quem quiser. Por agora, dou-me aos pequenos e simples luxos que a minha vida me permite: acordo mais tarde, ponho leitura sem dia, vejo os meus programas de TV preferidos que, habitualmente, não vejo,vou à piscina, estendo-me ao sol aqui no pátio de cá de casa e passo mais tempo com o meu burguês e com os meus pais. Mesmo quando puder usufruir das minhas férias para conhecer o mundo, acho que a melhor forma de passa-las será sempre esta de agora e quando me perguntaram como passei este tempo de repouso eu responderei toda feliz: fui (todos os dias) para a piscina. Porquê toda feliz? Porque é o que eu faço desde os 13 anos.  Quanto às pessoas, que podem mudar de destino sempre que desejam ou sempre que sentem que necessitam, eu fico feliz por elas, ainda bem que podem e apoio completamente, pois se têm esse luxo não é pelos os outros que não podem que não o farão. Se podem, façam-no! Mas eu pergunto: se quem não pode dar-se a esse luxo, pelo menos com tanta frequência,  encara a vida e não morre, por carga d'água é que os outros morrerão em terra?  Contudo, eu não as invejo nem cobiço o que têm  para mim. Não sei porquê… talvez porque ‘’ para viajar basta existir’’ e eu sinto que viajo todos os dias, desde o momento que acordo ao que me deito.
 
 
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Guardados no baú

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Depois não digam que eu não informei

1-Devido à importação dos textos de uma plataforma para outra, alguns deles surgiram sem espaço entre as palavras, sem pontuaçãoetc. De modo que, alguns posts anteriores a 5 de Nov. de 2018, ainda estão por corrigir. 2-Relativamente às imagens utilizadas no blog, como sempre refiro a fonte no fim de cada post, a maioria delas são retiradas da Internet. No entanto, se algum autor de alguma imagem ''passar por aqui'' e não permitir a sua utilização, por favor envie e-mail que logo que possível a imagem será retirada. As restantes, são mesmo fotografias minhas e outras são criadas por mim com auxílio de alguns programas de edição de fotografia e design. Em todo o caso, eu identifico sempre a origem de todas as imagens e fotografias utilizadas no blog.

Fala comigo em

blogdomaufeitio@sapo.pt