Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Frase do Mês

Quem procura defeitos antigos no presente, vive eternamente no passado.

Minha frase

P.S - quando eu digo que é uma frase da minha autoria é porque não me inspirei em nada que pertença a outra pessoa. Saiu-me espontaneamente. No entanto, o mundo está cheio de pensamentos comuns.

 

Na verdade, eu já partilhei esta frase e escrevi sobre ela no meu Instagram , mas como eu não gosto muito de escrever lá, não me alonguei muito. Porém, como é inicio do mês e eu tento sempre manter esta tag viva no blog, decidi então fazer deste pensamento a frase do mês de Agosto e vem mesmo a calhar. E porquê? Porque é Verão e isso significa que uma boa parte das pessoas estão de férias e por isso, regressam a casa. 

Nesta altura do ano, eu revejo muitas pessoas do meu passado, infelizmente em relação a algumas. Principalmente, pessoas que andaram comigo na escola, antigos professores e funcionários escolares.
Antes de continuar, queria fazer um parêntese: eu acho imensa piada a algumas pessoas que pensavam que só elas é que não gostavam dos outros, não têm nem tinham a mínima noção do quão eram odiadas por esses outros. É isso que muitas pessoas não entendem, que não é porque nós não andarmos a falar mal delas e a trata-las abaixo de cão, como elas fazem, que gostamos delas.

Nos meus tempos de escola, houve pessoas que, independentemente da forma como me tratavam, eu não gostava minimamente delas mas elas sentiam-se poderosas, porque só elas é que tinham o direito de gostar e desgostar dos outros. Pensavam elas. Enfim.

Muitas dessas pessoas têm passado por mim, umas cumprimentam-me, outras tentam... eu ignoro todas elas. Finjo que não ouço ou que não percebo. Viro a cara. 
Se me tratavam mal porque eram crianças ou no caso dos já adultos nessa altura que me tratavam menos bem porque não sabiam como lidar comigo ou não tinham paciência ou por outra razão desconhecida, eu  digo que era apenas uma criança  como muitos e cresci com isso dentro de mim. Não estou a dizer com isto que nunca fiz nada de mal, que nunca tratei mal ninguém e admito que possa ter merecido algumas coisas. Não sou santa... só se for a santa do paoco 
Mas, independepende do quão passado é e de que passado veio, se eu não quero na minha vida, não vale a pena! Quando algo morre dentro de mim, morre mesmo!!


Pois bem, esta frase é um pouco contradiória... eu sou do contra. Já diziam alguns professores:       
''Não vale a pena Dina, tu és do contra!'' .

Contudo, eu tento alimento este pensamento:

Até podemos não querer nada com algumas pessoas do nosso passado, pelas más recordações que nos despertam, pela má impressão que nos causaram, pelos sentimentos negativos que nos fizeram sentir, temos esse direito. E temos o direito de não querer dar uma segunda oportunidade.
Mas não podemos nem temos o direito de afirmar que essas pessoas continuam iguais. O ser humano está sempre em mudança. A viver, a errar, a acertar, a cair, a vencer, a se superar e a melhorar. É preciso sair do passado e, isso significa deixar as pessoas seguirem o seu rumo e se conhecerem umas às outras e deixar as nossas ''dores'' relativamente a essas pessoas permaneçam num lugar dentro de nós, se não as conseguimos deitar fora, mas sem denegrir a imagem de ninguém.

Eu confesso que, nunca vou esquecer nada do que me fizeram sentir. Porém, optei por ignora-los por completo. E não acredito muito na regeneração de muitas delas (pessoas), apenas hoje em dia, o cenário é outro e como tal temos de agir em conformidade com uma série de regras e conceitos e blá, blá, bla...
Mas a vida está aí para todos e cada um de nós vai receber o que deu ao outro. E eu não vou alimentar ódio dentro de mim por quem nem isso merece, apenas viro o rosto. 

 

Quem procura defeitos antigos no presente, vive et

 

11 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Guardados no baú

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Depois não digam que eu não informei

1-Devido à importação dos textos de uma plataforma para outra, alguns deles surgiram sem espaço entre as palavras, sem pontuaçãoetc. De modo que, alguns posts anteriores a 5 de Nov. de 2018, ainda estão por corrigir. 2-Relativamente às imagens utilizadas no blog, como sempre refiro a fonte no fim de cada post, a maioria delas são retiradas da Internet. No entanto, se algum autor de alguma imagem ''passar por aqui'' e não permitir a sua utilização, por favor envie e-mail que logo que possível a imagem será retirada. As restantes, são mesmo fotografias minhas e outras são criadas por mim com auxílio de alguns programas de edição de fotografia e design. Em todo o caso, eu identifico sempre a origem de todas as imagens e fotografias utilizadas no blog.

Fala comigo em

blogdomaufeitio@sapo.pt