Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Relembrando posts antigos #2

mau feitio, 30.03.19
Olá, tudo bem?
Dando continuidade à minha ideia de trazer à tona posts escritos outrora, aqui está outro texto que adorei escrever. 

'' Macacos de imitação
 
26-05-2017
21h12
 
 
Nós não gostamos de muita gente e muita gente não gosta de nós por causa da maioria: se a maioria das pessoas com quem estamos, andamos, do meio onde estamos inseridos não gosta, nós também não. Se essa maioria gosta, nós também gostamos. A maioria ou uma determinada pessoa influente (empresários, presidentes, doutores, filhos destes, figuras públicas, pessoas influentes na Internet, etc)... mas quando ficamos sozinhos, embora não concordemos com algumas atitudes e ações dessa ''muita gente'', damos connosco a pensar, que apesar de tudo não temos nada contra e até gostamos das pessoas, mas concluímos que  émelhor deixar como está, porque se A e B sabem, ficam contra nós também e podemos ter problemas e não estamos para nos arriscar... por isso é melhor imitar os outros porque ser diferente é algo assustador. E vamos seguindo assim, sendo membros das outras pessoas e não pessoas realmente. Mas, membros superiores ou inferiores? Passamos mais de 50% da nossa vida a ter as mesmas opiniões dos outros, a ter os seus princípios, a gostar do que eles gostam, a ouvir o que eles ouvem, a dizer o que eles dizem... a falar como eles e a ser o que os outros são. Nós mesmos, não existimos. Somos um bando de franguinhos influenciáveis. E mais... nós passamos o nosso tempo a não gostar das pessoas, a ter ''coisas'' contra elas, a falar mal delas, a olhá-las de lado, a rir-nos delas por influência dos outros. Ou seja, usamos muito mal o nosso tempo, desperdiçamo-lo em vez de aproveitamo-lo uns com os outros.
É natural haver conflitos e pontos de discordância entre as pessoas, mas não é preciso ir ao extremo das situações, criar um motim contra ninguém e fazer de tudo uma guerra mundial.
Até quando seremos macacos de imitação? Capachos da sociedade, da maioria?
Pois... que se lixem os outros, os seus princípios, gostos, o que pensam, as suas opiniões... lembremo-nos que quando uma ou várias pessoas tentam fazer com que os outros sejam como elas é porque são fracas e medíocres e precisam que alguns palhaços deem a cara por elas.
Sejamos mais nós mesmos e menos os outros. Deixemos que cada um resolva os seus problemas, mesmo que tenhamos a nossa opinião (temos sempre), não precisamos de a manifestar a toda a hora, muito menos, se não nos diz respeito. Sejamos diferentes. Deixemo-nos de lados e fiquemos no meio de todos. Tenhamos vozsim, mas só com que é connosco. Deixemos de ser macacos de imitação.''
 

Imagem do Google Imagens
 
 
Espero que gostem.
Boa noite e Bom Domingo!
Beijs

Relembrando posts antigos

mau feitio, 24.03.19
Tive uma ideia

Uma vez que me alojei aqui com o blog ''a meio'', tive a ideia de relembrar (republicar) alguns posts que eu gostei muito de escrever e sinto um certo orgulho em tê-los escrito. Assim, o post que se segue foi escrito há 1 ano e mais ou menos 1 mês e dias e tem o título:
 
 
Pessoas de Cartão
 
 
19-02-2018
16h07
 

Eu olho o mundo pela minha janela e vejo-o a vender-se por milhares de ‘’coisas’’, mas são milhares de ‘’coisas’’ vazias, ocas, sem conteúdo, sem matéria… essas ‘’coisas’’ chamam-se carros, roupas, marcas, sapatos, malas, joias, objetos, casas, cómodos… isso tudo faz parte de uma imagem. Uma imagem que se quer ter para impressionar, cativar, conquistar,enganar, iludir, induzir em erro. Uma imagem que é exigida, disfarçadamente imposta pela sociedade, pelo mundo que nos rodeia porque faz parte de mil e umr equisitos que uma pessoa tem de ter, deve ter, é obrigada a ter para entregar aqui, ali, acolá. É como se a imagem detetasse o carácter de alguém. Aliás, o que é ser pessoa, hoje em dia? É ser imagem. A sociedade vive numa corrida frenética à imagem, à melhor imagem para obter o melhor lugar, a melhor casa, o melhor carro, as melhores roupas das melhores marcas, o melhor posto de trabalho, a melhor poltrona, a melhor secretária…

As pessoas andam aos tombos uma com as outras, aos empurrões, aos puxões de cabelos para chegar primeiro, para ter o melhor lugar porque cada um tem mais, merece mais, tem um papel a mais. E isto, e aquilo…ninguém pode ter mais do que eles, se tiver, tem de ser justificado, escrito, atestado, explicado… e tudo porquê? Pela maldita imagem!
E, vejam só o que uma secretária, uma cadeira, um posto de trabalho novos, uma casa grande, um bom carro e, meia dúzia de outras‘’futilidadezinhas’’ fazem: empinam o nariz, levantam o pescoço, reviram osolhos, olham por cima do nariz, falam ‘’politiquês’’, endireitam as costas (até lhes doer a espinal medula) e, andam em linha reta sem reconhecer ninguém, porque trabalha-se ali, acolá e o patamar é outro. E que patamar! O patamar da tolice, da parvoíce, da futilidade e muitos mais ‘’íces’’. Três palmadas em criança e, uma carga diária consideravelmente pesada em adulto e acabava-se os patamares, os altos níveis que passeiam e deixam o cheiro a podre por onde passam. Mas, infelizmente, não há trabalho pesado para quem merece e o tal canudo não deixa. Que canudo é esse… Senhor! Que livra tanta gente da merecida lida. E o que é que vale? A imagem.
Podem passar fome, podem passar frio e sede… podem ser miseravelmente infelizes e insatisfeitos com as suas vidas, podem não saber a ponta de um corno, mas o que é que tem?!
O que importa é a imagem que a sociedade vê, a roupa que a sociedade admira, a casa, o carro que a sociedade cobiça… a feliz relação que os outros e as outras invejam! Que importa que se viva como cães e gatos, que se agridem, que se traem? O que importa é o que se vê! Assim pensa a sociedade. Sinceramente, eu prefiro pessoas do que imagens. Eu prefiro uma casa pequena com tudo o que eu gosto. Eu prefiro uma roupa que me caia bem e que me faça sentir bem.
Eu prefiro obter só aquilo que eu possa comprar,  o bastante para me satisfazer e não passar fome, frio, sede porque gastei o que tinha.
Eu prefiro as pessoas com conteúdo, com matéria, com conhecimento, pessoas cheias de sentimentos bons.
Se essas pessoas de quem eu gosto trabalham atrás de um balcão, a servir às mesas, a varrer a via pública, a limpar casas… então são pessoas reais e admiráveis!
Eu vim da pobreza, por isso sou rica. A felicidade é pobre, mas adormece de barriga cheia. As pessoas perguntam-me por que ando sempre tão feliz, então... eu não tenho riqueza nenhuma pela qual me chatear,eu não sei identificar marcas, não sei discutir sobre dinheiro, o aspeto e o materialismo passam-me ao lado, gosto das coisas bonitas e simples do mundo e acho a vida linda…
A imagem de alguém está na capacidade de desempenhar bem o seu trabalho, na capacidade de ser sincero e humilde. Ter uma boa apresentação, estar em condições (roupa adequada, limpo, etc..) o mínimo que é     pedido, claro. Mas não é uma imagem que faz uma pessoa.
 

Antes de serem uma imagem, tentem ser alguém. É bom.
 
 
Imagem do Google Imagens
 
 
 
 

Amanhã é Domingo... :(

mau feitio, 23.03.19

Ai caneco!

Amanhã é Domingo, dia do Nosso Senhor (como manda a religião católica, na qual eu fui criada...!), dia de descanço para muita gente, dia da família... mas devo confessar: desde pequena (quando eu era mais pequena ainda, tenho 1,46 cm lembram-se? Qualquerum, pega-me por uma mão e atira-me assim ao vento... lá vai o mau feitio, depois o vento atira-me a uma árvore, que por sua vez, atira-me a uma rocha e eu fico lá toda esmagada com as tripas a saírem-me pelos olhos...)
Num instante, fiz uma cena de terror! Bom, voltemos aos Domingos, desde os tempos de criança, que eu não gosto do Domingo. Pah... é aborrecido...! Não há nada para fazer, na televisão não passa nada de interessante, ainda se mantivessem a programação da semana ou pussessem alguma cousa de jeito a dar... mas não. É sempre aqueles programas pirosos, reality shows... arght! eu gostava de ter um botão onde me pusesse a dormir de Sábado para Segunda-feira. Seria tão fixe! Na realidade, eu consigo fazer isso, vocês iam ficar bOquiaberTOs com a quantidade absurda de horas que eu consigo dormir! Mas eu não vivo sozinha, de momento. Por isso... não convém dar sustos a ninguém. ( não sei se já disse aqui, se não, digo agora: o meu sono não é regular. Eu consigo fazer diretas sem problemas, consigo passar semanas a acordar cedíssimo e consigo dormir mais que um coala).Até me tento distrair com algumas coisas, mas parece que levaaaaaaaaa mais tempo a passar, precisamente, porque eu não gosto. Quando a gente não gosta de uma coisa, ela insiste, persiste e demora-se.
Bom, pessoas lindíssimas eu vou ver a novela Salve Jorge (Globo Portugal).
Mas... e vocês gostam do Domingo? O que vocês costumam fazer? Têm sugestões para passar um Domingo?
Beijs.

Eu desisto!

mau feitio, 23.03.19

Calma, minha gente!

Não é nada demais, passo a explicar:

Já há algum tempo que eu ando a tentar simpatizar com uma pessoa, por nenhuma razão em especial, mas como vivemos na mesma terra e já convivi com essa pessoa em dois momentos diferentes da vida e, possívelmente, vou contracenar em algum momento futuro, não que eu vá até... mas como vivemos na mesma terra... por mais que os caminhos se separem, há sempre uma vez ou outra que se dá de trombas com as pessoas, dada a pequenez do sitio. Enfim... eu não consigo! Nem consigo verbalizar uma palavra. Não é que eu O_D_E_I_E a pessoa em questão, mas já tenho recordações negativas em relação à pessoa, umas recentes, outras mais antigas... o que dificulta a situação. Sem falar que quando eu pego com uma coisa... txiii.... nem tirada a ferro, por isso, a solução que eu encontro para quando me deparar com tal presença é passar, fazer um aceno com a cabeça ou mão, no máximo, esboçar um sorriso e ir à minha vida. Também... não há assunto, tendo em conta à pessoa que é e etc, etc, etc. Desisto! Melhor do que sorrir uma vez, falar outra... virar a cara outra. A pessoa deve pensar: ''Esta gaja é bipolar.'' 
Acho que não se deve forçar nada, mas eu não me sinto confortável, é boa pessoa (até que se prove o contrário) e meio que me pediu desculpa...explicou-se, vá! E foi tolerante em algumas ocasiões. Por isso, tentei simpatizar, ma' não consigo. Não entra! E eu só 'tava a empurrar pra dentro. Aproveitando a deixa para uma pessoa, utilizo-a em várias.

coisas_da_vida.

Somos cores, diferenças e escolhas, mas tudo é Ser HUMANO!

mau feitio, 20.03.19

Africano, Asiático, Amarelo, Vermelho, Caucasiano, LGBT+. É? Prostituta(O), Velho, novo, MULHER, homem,  pessoa com mobildade reduzida, europeu, chinês, brasileiro, pobre, rico,  SOLTEIRO, direito, torto, baixo, a-l-t-o,moreno, gordo, magro, pálido, ruivo, uma palete inteira de cores...   A sério? é diferente de ti? 

Pois... se é, deixa ser! É tudo Ser Humano! É tudo igual! Cada um com a sua diferença, com as suas escolhas e do seu jeito, é tudo Ser Humano, somos todos ESPECIAIS, cada um do seu jeito!

Hoje é o dia!

mau feitio, 19.03.19

O dia de quê?! Dia do Pai, ora essa! 
EU AMO O MEU PAI! AMO, AMO, AMO! Mê rico rataninha! (é a alcunha dele). Confesso que, ainda não o vi hoje. Mas estou ansiosa pela chegada dele, nós combinamos um abraço especial para hoje (eu + o meu pai só fazemos palhaçada), somos assim... que fazer?!
Tenho o presente dele guardado no guarda-fato (ele pensa que não comprei nada, porque fiz entender que não deu para comprar. De facto, o que queria oferecer não foi possível, mas eu tenho sempre um fundo de emergência para ocasiões paternais especiais). Pareço uma pequena a falar, não?! Mas é normal, quando se chega a este dia, voltamos todos a ser meninos dos nossos pais.
Bem... sem mais delongas, desejo um Feliz Dia do Pai, passado da melhor maneira possível!! 
Eu sei que, nem todas as pessoas partilham de uma realidade ou memória feliz dos seus pais, mas eu digo sempre que devemos agradecer por estarmos vivos e inspirarmo-nos naquilo que queremos ser um dia.
Se temos más recordações, trabalhemos hoje para termos boas memórias amanhã. Se temos boas... trabalhemos para continuar o bom trabalho feito. Ser Pai pode ser Deus, a Natureza, alguém que nos marcou... a vida! Inspiram-se nisso e não deixem de agradecer, porque Dia do Pai não se destina só a um homem, mas ao facto de estarmos vivos.
 Um Feliz Dia do Pai!

 

FotoJet (4).png

 

10 livros que quero ler há muito tempo.

mau feitio, 19.03.19

A gente vai que vai... até lê uns livros e tal mas no fim por causa de uma coisa e outra, acaba por não ler os livros que gostava mesmo de ler e nisto, a lista de leituras desejadas, vai-se acumulando.
 
E aí... quais são os livros que o Mau Feitio quer ler há muito tempo?
Humm... vamos ver:

1.Aproveitem a vida de António Feio;
2. A filha do Capitão de José Rodrigues dos Santos;
3. Não sei nada sobre o amor de Júlia Pinheiro;
4. Amizades Improváveis de Jonathan Evison;
5. A minha história com Bob de James Bowen;
6. O meu nome é Alice de Lisa Genova;
7. O Rapaz do Pijama às riscas de John Boyne;
8. O velho que lia romances de amor de Luís Sepúlveda;
9. (O) Meu pé de laranja lima de José Mauro de Vasconcelos;
10. O Alquimista de Paulo Coelho.

O que vocês acham da minha lista de leituras desejadas?

Já leram algum livro acima referido? 

Beijs.

Obrigada, Fevereiro!

mau feitio, 19.03.19


É verdade... pois'é. Eu não agradeci ao mês de Fevereiro, pah!
Este mês ando meio... na lua. Cansada ou assim, na sequer sei explicar. Mas antes tarde do que nunca.
Bem... o que me aconteceu no mês de Fevereiro que mereça que eu agradeça?
Olha, choveu bastante por aqui, por isso, obrigada.
Obrigada por ter concluido algo importante (depois eu conto).
Obrigada por ter sido um mês de 28 dias, apenas. Às vezes, custa tanto a passar.
Obrigada mais uma vez, pela minha família que tenho. PELOS PAIS QUE TENHO.
Obrigada pelo meu gato ter ficado mais calmo (andou o mês de Janeiro fora de casa) só vinha comer e depois lá ia namorar com as suas fêmeas... ai paciência! Não me preocupo com isso, não se pode negar a natureza do animal.
Obrigada por.... tudo!
Por ter onde dormir, o que comer, por ter saúde!
Obrigada Fevereiro! (e desculpa a demora!).

Pág. 1/3