Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Eu estou aqui para quê?

mau feitio, 27.06.18

Olá pessoal.

Hoje eu vou falar sobre o quê e para quê que estou no mundo.
Eu penso que estou aqui para aprender,crescer, cair, falhar, superar, desenvolver e progredir. O progresso de uma pessoa é, na sua maioria, feito de retrocessos e quedas. Nós precisamos de quedas para abater o nariz, esfolar os joelhos, levantarmo-nos  para aprender e continuar. Estamos aqui para ganhar e perder e para ambos é necessário sabedoria. Eu não penso que estou aqui para repor a verdade sobre coisa alguma nem abrir os olhos sobre nada nem ninguém. As pessoas passam a vida a falar de justiça mas,por vezes, esquecem-se que a justiça começa em nós. É legitimo termos dúvidas,questionarmo-nos e ter curiosidade sobre o que e quem nos rodeia. E temos todo o direito à nossa opinião e a dizer o que pensamos. Não temos de nos calar por tudo nem fechar os olhos ao que acontece ao nosso redor. É humano estranhar o outro e questiona-lo. Temos o dever de denunciar crimes se soubermos onde eles acontecem e quem os comete. É o nosso dever. Mas, a verdade de cada um pertence a cada um. A grandeza, prepotência, arrogância, avareza, vaidade, luxúria,a superioridade de alguém, cabe à vida tirar. Não a nós. Pelo menos, não numa arena com leões e plateia a assistir. Porque todos já fomos heróis sem ter salvo o mundo, porque já fomos santos sem ter feito qualquer milagre, porque todos já fomos corajosos a tremer de medo, porque todos já fomos grandes, sendo pequenos. E foi a perder que dizemos que íamos vencer. Eu não estou no mundo para repor a verdade sobre nada nem ninguém. Eu estou no mundo para me construir e melhorar e isso significa que vou cair inúmeras vezes.

Olá!

mau feitio, 26.06.18

Olá pessoal!

Tudo bem? Que se faz por aí?

Eu hoje estou em casa mas ontem fui ‘’sleepar’’ para a piscina, como tinha dito que ia se o tempo estivesse bom e esteve maravilhoso! Aquino meu concelho, há piscina natural enchida pelo mar, é como um miradouro à beira mar e ontem o mar estava agitado com grandes ondas que entravam pela piscina adentro. Tendo em conta, o meu 1,46cm, as ondas passavam-me por cima mas adorei. Mesmo muito bom. Hoje também está dia de piscina, mas apesar de ter usado protetor, sinto a pele muito quente, então optei por ficar por casa à sombrinha. Aproveitar e pôr as leituras em dia. Não gosto de ter livros por ler, quando vejo que estou a acumular livros e não os vou ler, dou para biblioteca sou a alguém. Todos os livros que tenho em casa, têm de estar lidos. Gosto de olhar para o cómodo onde os guardo e saber que sei a ‘’história’’ de cada um.Agora estou na sala a escrever para vocês e a ver o que está a dar na TV. Já fui comprar umas coisas boas: bolachas, chocolates, salgados. Sou muito gulosa! E nunca me importei com a aparência. Eu como e nunca engordo. Mas,de resto, não me importo com nada, nem com as cascas de laranja, com as marcas de biquíni, com as olheiras… nada disso me incomoda mesmo! E é uma das características que mais gosto em mim. Bom, vou publicar e ir lanchar.

Obrigada por estarem aí. Beijinhos.
 
 
 

Bom dia!

mau feitio, 25.06.18

Olá pessoal!

Bom dia. Que horas são? Aqui são exatamente 05:42 da manhã.Já dormi, já acordei, já comi, já vi quase uma temporada inteira de Grey’sAnatomy e o filme Ballerina, já ouvi música, o que fiz mais? Já disse que comi? Yup. É isso, pessoal. Férias, holidays,vacances. E agoa que vou fazer? Rien de rien. Espero que o dia acorde com cara de piscina porque mais um dia de férias assim como zombie, eu passo-me! Vou lá fora e mato o tempo. Na primeira semana, foi entusiasmante: fui p’ra piscina,apanhei solinho cá em casa, tinha tudo em ordem mas, o tempo começou a esmorecer e eu fiquei toda trocadinha… às vezes, aqui na minha zona está frio e onde fica a piscina está calor e vice-versa mas eu não sou vidente nem posso andar lá e cá a experimentar… tinha mais que fazer, embora seja só 10 minutos de distância de carro de uma freguesia para outra, nem sempre dá jeito de ir ver se o sol aparece por lá. Esta semana que passou, na minha freguesia esteve frio, desagradável. O verão entrou com cara de inverno. Vamos ver o que esta semana me reserva. Tenho mais de 17 livros para ler, se por acaso o tempo não me fizer à vontade e tenho de ir vir visitar a minha tartaruga. A tartaruga é uma amiga do tempo do liceu (Lol… tempo do liceu. Já sou muito velha😊),não a vejo há 4 ou 5 anos. Já passou mais um bocadinho de tempo desde das 05:42. Gosto muito de escrever assim, como se estivesse a conversar, sem ter cuidado com a Gramática.Também é preciso. São 06:08, os meus pais estão quase a sair para ir trabalhar,aí me levanto, o burguês entra para comer e ficar a dormir. Que gatinho aquele.É quase humano. Depois eu como outra vez e se as pálpebras não pesarem, já estou acordada para o dia. Se o tempo estiver bom de piscina, é p'ra lá que vou ‘’sleepar’’,senão fico a engonhar para aqui… seca! Mas eu gosto de ficar em casa… eu vivo numa zona rural, numa pequena freguesia… não há nada para fazer fora de casa. Se é para estar como zombie, estou em casa. Na cidade, temos sempre para onde ir, é diferente. Eu prefiro cidade. Abro a porta e tenho milhões de coisas para fazer.Já aqui, abro a porta e vejo a casa da frente… frustrante! Bom, vou publicar.

Beijinhos! Bom inicio de semana para toda a gente!
 
Imagem do Google Imagens
 

Eu juro que não entendo...

mau feitio, 18.06.18

Eu não entendo. Eu juro que não entendo. Ora, vejamos:devido às alterações climáticas o território do meu país está cada vez mais seco, cada vez é mais difícil colmatar a seca, embora que a situação já esteja regularizada mas o que é verdade é que no ano passado cerca de 56% do território encontrava-se em seca extrema o que afetou vários setores e contribui para que os incêndios postos por psicopatas se alastrassem por grandes áreas do país. Houve grandes tragédias por isso. Mais de 100 pessoas no total morreram sem ao menos ter a oportunidade de se despedir. Crianças morreram. Animais morreram. Vidas ficaram destruídas e, em alguns casos não se voltarão a recompor. Chegou-se a uma altura que não havia um único distrito que não estivesse a arder. O calor era insuportável. A chuva teimou em não aparecer. Existem previsões de seca futura e permanente. Os recursos naturais são cada vez menos, se não é que já não acabaram. E, ainda há uns idiotas que aparecem na televisão a dizer que o verão devia se prolongar até novembro com temperaturas elevadas porque este ano o calor tardou em chegar… o que é que acham?! Eu juro que não entendo. E, ainda se queixam que veio mais tarde… asério?! O que eu quero dizer é que eu também quero o verão, também quero ir à praia, mas, tendo em conta, os acontecimentos catastróficos  do ano passado e eu nem sequer estou no meio desse cenário, ainda bem que fez mau tempo até agora e espero que o verão deixe a chuva aparecer, de vez em quando, pois quando o Planeta Terra se esgotar, vão-se todos à vida. 
 
Imagem do Google Imagens
 

Posto isto, estás pronto!

mau feitio, 17.06.18

Se já caíste e ‘’partiste os dentes todos’’,

Se já choraste como uma criança desprotegida,

Se já tiveste sonhos que te enganaram,

Se tens os joelhos esfolados e doloridos

Pelas quedas mortíferas que deste,

Se já te disseram o impensável de ouvir,

Se já mendigaste amor e atenção, mesmo que em segredo

Se já deste o primeiro passo e não te deram valor,

Se já voaste alto demais e ‘’batizaste’’ o chão com o teu sangue,

Se esperaste que a vida te resolvesse os problemas e ela não apareceu,

Se tudo aquilo em que tu acreditaste um dia, já não é válido

Se já não conheces quem foram os teus amigos,

Se já se riram de ti,

Se já te magoaram sem dó nem piedade,

Se não tens nem metade daquilo que tu sonhaste e anunciaste um dia,

Se já tiveste momentos de tolice, futilidade, infantilidade e birras progressivas,

Se tu já tiveste ou passaste por isso tudo, então pronto(a) para te levantares e continuares a viver a partir daqui. E que se lixem os outros e o que dizem sobre ti, porque se não morreste até agora, não morres mais.

Ir de férias?

mau feitio, 17.06.18

Olá, pessoal.

Antes de começar, quero esclarecer quando digo ''rico e pobre'', não estou a desvalorizar nem a criticar ninguém. Eu concordo e apoio que cada um deve viver de acordo com a sua realidade, sem se sentir mal pelos outros. E aqueles que ainda não tiveram essa possibilidade, não significa que nunca vão conseguir. Claro que vão conseguir tudo o que sonham! E... lembremos que há ricos e ricos e pobres e pobres.

Como vocês sabem, eu estou de férias. Por isso, tenho sido questionada por várias pessoas: ‘’para onde vais de férias?’’ , eu? Eu só deixei de ir trabalhar. Não vou a lado nenhum.Não quero que me interpretem mal, mas nunca entendi a necessidade que as pessoas têm de ir de férias. Eu quero conhecer o mundo, outras culturas, tomar conhecimento, viajar para outros países ou no meu país, claro que quero. Mas,nunca senti a necessidade de sair de férias para um lugar ou país diferente para mudar de ares. As pessoas pobres quando têm férias ficam onde estão porque não têm possibilidades de sair e não morrem por isso, porquê que as pessoas ricas ou com mais possibilidades morrem de tédio por passar as férias por casa?Porque têm dinheiro e dão-se a esse luxo e fazem muito bem. Não estou a julgar.Porém, são duas realidades bem diferentes. Se o rico tem depressão ou stress,põe baixa e vai de férias para qualquer lugar, vai ao psicólogo mais conhecido,se o pobre tem depressão ou stress, não pode pôr baixa porque tem contas para pagar, quando tem férias fica em casa para poupar o gasóleo e guardar o último ordenado que recebeu até então (é verdade), se precisa/quer ir ao psicólogo ou consultar-se com outro médico, avalia minuciosamente o que cobra o seu plano de saúde ou acaba por esquecer qualquer problema e encara a vida mesmo assim. Pessoal,eu não estou a gozar, mas as pessoas com menos possibilidades que não se podem dar ao luxo de mudar de ares, de cometer uma extravagância ou de recorrer anão sei o quê sempre que algo corre mal, saberão do que falo. O pobre não tem tempo nem dinheiro para se sentir desconfortável com alguma coisa. É encarar mesmo assim! Se dói, a gente não ouve a dor. Se estamos mal, pomo-nos logo bons quando vemos o saldo da conta porque não há outro remédio. Um dia, tenciono correr o mundo e eu vou fazê-lo. Mas, por agora ainda sou pobre ainda que trabalhe só para mim, tenho maiores prioridades do que sentir necessidade de ir de férias para qualquer lugar. E, sinceramente eu penso que quando eu tiver essa possibilidade, não serei assim: ‘’estou mal com a vida, vou viajar.’’. Estar estendida numa praia paradisíaca ou a passear pelas ruas dum belo país é estar mal com a vida?! Digam-me o que é estar bem, por favor! Quando eu viajar não será por estar mal com a vida ou porque precisarei de mudar de ares, muito menos, será pelas selfies para postar no Facebook, mas sim, porque estarei bem com a minha vida, onde estou e com tudo aquilo que tenho e quero conhecer o que-está a seguir de mim. Falo do Facebook porque há muitas pessoas que viajam, viajam, tiram fotografias aqui e ali e depois nem sabem qual estátua ou o museu que aparece atrás. Isso é comédia! Não se precisa de ser um Ás em cultura geral, mas convém ler um pouco sobre o país, cidade ou região a visitar para não se morrer tolo e ignorante. Viajar só para se gabar que fomos aqui, ali, acolá... que futilidade! Se algum dia, precisar de mudar de ares porque não estou bem onde estou, não vou de férias, mudo-me de vez. Pois, se eu não me sinto confortável onde estou não é um mês de férias que mudará isso. Algo maior precisa de ser mudado, a começar por nós. Quando tenho um dia mau, como chocolates e enfio-me na cama, por exemplo. Não estou a dizer que nunca cometi ou que não cometo uma extravagância porque toda a gente o faz, de vez em quando.Mas não sei. Eu não me estou a ver a ir não sei para onde, só porque estou de férias ou porque tenho dinheiro. Essa não sou eu. Antes disso, pretendo obter outras coisas. Eu penso assim. Além disso, quando puder fazê-lo de fato, levarei os meus pais a fazer uma viagem se quiserem para onde desejarem depois, as seguintes, irei para onde, como e com quem quiser. Por agora, dou-me aos pequenos e simples luxos que a minha vida me permite: acordo mais tarde, ponho leitura sem dia, vejo os meus programas de TV preferidos que, habitualmente, não vejo,vou à piscina, estendo-me ao sol aqui no pátio de cá de casa e passo mais tempo com o meu burguês e com os meus pais. Mesmo quando puder usufruir das minhas férias para conhecer o mundo, acho que a melhor forma de passa-las será sempre esta de agora e quando me perguntaram como passei este tempo de repouso eu responderei toda feliz: fui (todos os dias) para a piscina. Porquê toda feliz? Porque é o que eu faço desde os 13 anos.  Quanto às pessoas, que podem mudar de destino sempre que desejam ou sempre que sentem que necessitam, eu fico feliz por elas, ainda bem que podem e apoio completamente, pois se têm esse luxo não é pelos os outros que não podem que não o farão. Se podem, façam-no! Mas eu pergunto: se quem não pode dar-se a esse luxo, pelo menos com tanta frequência,  encara a vida e não morre, por carga d'água é que os outros morrerão em terra?  Contudo, eu não as invejo nem cobiço o que têm  para mim. Não sei porquê… talvez porque ‘’ para viajar basta existir’’ e eu sinto que viajo todos os dias, desde o momento que acordo ao que me deito.
 
 
 
 

Para os ''meus'' cotas

mau feitio, 10.06.18

Hoje,por nada de especial quero mandar um abraço para todos os ‘’meus’’cotaaaaaaaaas que fizeram parte da minha vida enquanto estive fora. Uns lá vão,outros permanecem mas como sou uma pessoa de fé, acredito que todos lerão esta mensagem.

Eu sei que, às vezes parece que me esqueço de quem me deu a mão. Mas não! Eu não me esqueço do bom nem do mau.

Obrigada atodos os cotaaaas por terem estado comigo em tempos difíceis, por todas as gargalhadas, por toda a ajuda, por todos os momentos curtos ou longos. (vocês sabem quem são). COTAS! VOCÊS SÃO UNS VELHOS ACABADOS! COTAAAAAAASS!😜😜😜😜😜😜😜😜😜 Apesar de todo o sofrimento, que saudades!



 

Que se dane!

mau feitio, 08.06.18

Olá pessoal.

Hoje vou escrever sobre a importância da opinião alheia na minha vida. Na verdade,eu já tinha escrito sobre isso, mas tive de apagar o texto porque quando o publicava ficava com uma letra diferente daquela que defini, então fartei-me e apaguei-o. Posto isto, vamos lá.

Já mencionei algumas vezes que, sou do signo Escorpião (esta é a parte em que vocês fogem 😊) e como escorpiana orgulhosa que sou, podem concluir já à primeira que não sou muito fácil e tenho um feitio bem vincado, não sou meio termo. Ou é ou não é. Para além disso, eu gosto muito de mim, acho-me linda mesmo!!

Uma das caraterísticas do Escorpião é sentirmo-nos bem com a nossa pele, seguros e ‘’na boa’’ com a opinião dos outros têm de nós.

Bom… é isso aí. Não vou dizer que sou 100% segura todos os dias, porque considero que isso depende de muitos fatores mas, regra geral, estou-me pouco importando para a opinião têm de mim.

Ou seja:

Sou desarrumada? Muito! Mas verdadeiramente feliz. Coisas muito arrumadinhas fazem-me confusão, parece Marte, não há vida.

Não tenho preparação para a vida? NENHUMA! Mas... Quem tem?

Sou infantil, mimada? Ainda estão aí?! Não me queiram ver a fazer B I R R A!

Não sei viver em comunidade? Ó meus queridos, eu já vivo numa sociedade e chega! Não me enervem!

Sou fraca, frágil, coitada, ingénua, inocente? ‘tá bem… cada um vê o que quer e o que entende.

Sou uma tolinha? Mete tola nisso 😉😊Pareço…😇😛😁 e dou corda para ‘’me fazerem’’ de tola. Afinal, as pessoas Precisam DE SE SENTIR GRANDES (idiotas) mas grandes.

Eu ''não tenho ninguém'' porque eu é que me isolo? Vocês não sabiam? Eu vivo numa gruta sozinha no meio da floresta abandonada e escura a um dia de distância da população. 😅😆💪 não é por não estar rodeada de gente, sempre em festas, 24h por dia colada a pessoas, que não tenha amigos e que não goste de ninguém. Mas até o mundo entender isso... eu sou do género, eu amo, eu gosto, eu admiro, ''eu estou aqui para ti'', mas PRECISO do meu espaço.

'' O maior preconceito que existe  à tua volta vem de ti.'', eu respondo '' e o que existe sobre ti, é de ti'' . Meus queridos, ninguém se ama a si próprio na totalidade. Há sempre alguma coisinha em nós que não nos agrada e, por mais que os outros não vejam isso, na nossa cabeça, eles estão a ver. A isso chama-se pré-conceito. Eu tenho o meu e cada um o seu.

Eu tenho de limpar a boca? Mas não sou a única.

Se querem‘’responder-me na mesma moeda’’ por alguma coisa que disse ou fiz. Tudo bem.

Se se querem afastar por algo, tudo ‘’fine’’.

Se querem perder tempo a pensar, considerar, a achar, a não entender… o tempo é vosso.

Eu não gosto de mim? NADA! Eu ando com um sorriso de orelha a orelha para ninguém saber. É SÓ PARA DISFARÇAR! Não digam a ninguém. Conseguem manter segredo?

Escondo-me por detrás duma carapaça dura ou duma capa? Exato. Aliás, é por causa da capa que tenho 1,46cm, porque ela tapa o meu real tamanho. E, quanto à carapaça, tenham cuidado, porque ao tocar-me, partem a mão.


Eu não estou a dizer que nada me afeta porque eu sou um ser humano e, como tal também reajo, também fico a matutar, também fico maldisposta mas, de acordo com a minha personalidade e com as características do signo, a forma como me veem e a sua opinião sobre a maneira como levo a minha vida, evapora-se. Se devia isto,aquilo, se tenho de fazer isto, aquilo… como estou… se devia crescer, aprender…comer assim, assado, isto e aquilo… desaparece. Que se dane! Há coisas que ficam para sempre, mas essas coisinhas pequenas, ‘tou-me a lixar! Recentemente, aprendi (ensinaram-me) a tentar 3 vezes explicar o meu ponto de vista, a impor-me ou a pedir para não fazerem algo que me incomoda, se as pessoas continuarem a fazer o mesmo, deixo ir, se as pessoas não compreendem que é o meu modo de vida, que a minha maneira de vida é a minha maneira de vida, que eu sou assim, eu afasto-me, não é preciso cortar relações, apenas afasto-me. Não é preciso dizer nada, pois o silêncio falará por si e entenderão o que quero dizer. 

Eu penso que, estamos aqui a viver uns com os outros e não devemos ser ‘’nem tanto ao mar nem tanto à terra’’, isto é, não devemos calarmo-nos por tudo e também podemos aconselhar, alertar, chamar à atenção na linha da igualdade, não a sentirmo-nos superiores aos outros, porque o nosso conhecimento deve servir como ponte para os outros e não para nos elevarmos perante eles e, devemos ser tolerantes com as pavoíces que vemos se assim as consideramos em nome daquilo que já fizemos ou por aquilo que ainda vamos fazer.  Mas, se há ‘’coisa’’ em que não se mexe é o modo de vida de cada um. Não é certo nem errado. É o modo de vida de cada um! Além disso, ninguém é incumbe por cuidar da vida dos outros. Ninguém tem essa missão. Não somos deuses, somos pessoas e ninguém tem o direito de impor o seu modo de vida ao outro. E há que saber quando parar e avaliar o que se deve dizer, porque é muito frustrante estarmos sempre a corrigir os outros. Que vida é essa? Há um limite para tudo. 

E é isso pessoal. É isso que eu penso. Sou doida?! Muitíssimo. Deixa ser, aproveitem e sejam também. Querem saber a minha opinião? Eu acho que as pessoas vão ao Facebook, leem aquelas frases feitas de incentivo e auto - ajuda e depois repetem-nas na vida real. 

 

Beijinhos.

Reflexão

mau feitio, 02.06.18

Já passaram as dores, as tristezas, as quedas,os choros, a solidão do passado mas ficaram as lembranças, as memórias e essas também doem e como doem... por mais que eu descreva, explique nem mesmo que eu desenhe, mesmo que seja contado com todos os pormenores… só eu, só eu e Deus, como se costuma dizer, é que sabemos. Que agonia! Que agonia não ter ido, mas eu fui, apenas parece que não fui. Parece que fiquei suspensa numa bolha e fui mandada para longe e assisti à minha vida a acontecer sem a poder comandar. Por mais que eu queira esquecer, eu nunca vou esquecer. Nunca me vou curar. Não há cura para as marcas da vida, para as cicatrizes que ficam depois das feridas. Não há remédio. Só existem analgésicos que amenizam a dor temporariamente, mas de vez em quando, lá está ela a latejar, a doer, a pisar, a magoar, a dizer: ‘’tu foste fraca!’’, ‘’não conseguiste! Não és nada!’’, ‘’devias ter vergonha!’’  e a zombar de nós. Os outros que nos veem a sofrer, pensam que somos fracos mas, na realidade, os outros são apenas os outros e só se compreende a dor dos outros, pelo menos, só nos calamos, quando sofremos, quando a vida nos abre feridas e deixa as suas marcas.
Até lá, somos os mais fortes, os invencíveis e os mais idiotas também por pensar que não nos vai acontecer connosco. 

Frase do mês

mau feitio, 01.06.18
Eu fui ao circo.

Para este mês escolhi a frase: ‘’eu fui ao circo.’’, só porque hoje 1 de junho é Dia da Criança em Portugal e uma das recordações mais bonitas da minha infância são as idas ao circo. Eu fui ao circo! Eu penso que isso é uma relíquia, uma preciosidade… porque cada vez mais o ‘’ ser criança’’ está a perder-se mais depressa. Hoje chega-se aos 7 ou 8 anos e as crianças parecem ser uma espécie de ‘’mini-pré-adolescentes’’ com tablets na mão, iphones, ipods a ouvir músicas, a jogar… enfim… onde para a infância?! Para onde ela foi? E o que é que os pais têm na cabeça para lhes dar essas ‘’modernices’’ para as mãos?! Eu discordo totalmente com isso! Uma criança tem de ser criança o que significa brincar com brinquedos reais, com outras crianças reais, ao ar livre ou não, mas desligados da tecnologia… e não a gastar a sua visão com ecrãs, ouvira músicas espafalhadosas…
Bom, mas isto é só a minha opinião. Vamos lá à minha recordação: eu fui ao circo quase toda a minha infância, ou pelo menos, durante um tempo porque depois estragaram tudo porque deixaram de vir cá… os senhores do circo foram muito maus em deixar de vir cá! 😊Foi uma grande desilusão e tristeza para mim. Ia com os meus pais. Eu adorava os palhaços, como o resto das crianças. E comer algodão doce! Até hoje é o que gosto mais! A minha mãe comprava sempre e no fim do espetáculo, ia andar de pónei e tirar fotografias. Houve uma vez que tirei uma fotografia a tocar num tigre bebé, arrepiei-me toda! Não fosse ele morder-me ou comer-me a mão. Ainda me lembro de um desfecho em que na hora da despedida, os artistas saíram todos de uma máquina de lavar… até hoje, pergunto-me como aquilo foi feito. Eu adorei ser criança! E, sinto-me privilegiada por ter sido uma criança sem acesso a tecnologias, com pouco mas feliz e ter podido ser criança todo o tempo que me foi possível. 
Eu penso que é um direito de todas as crianças têm: ser criança até ao fim e isso depende dos pais e dos adultos que participam nas suas vidas e naquilo que lhes dão para as mãos e permitem-lhes fazer. Dizer auma criança que ela é muito nova para usar um tablet ou estar sentada a ouvir música todo o dia, não permitir que ela faça isso é prolongar-lhe o direito que ela tem de ser criança. Nada mais. As crianças, hoje em dia, já não se sujam, não têm os joelhos esfolados… os pais hoje em dia, deixaram de ser pais e passaram só a ser amigos. 
Enfim… eu desejo que todas as crianças do mundo, as de hoje e as de amanhã, sejam apenas crianças com tudo o que ‘’ser criança’’significa. Desejo que não haja diferença, discriminação nem hierarquias entre crianças. Desejo que não haja qualquer tipo de abuso nem violência contra as crianças e que chegue o dia que nenhuma criança sofra pela mão do adulto. Criança não tem cor, raça nem condição. Criança é ser criança, apenas. Ser criança é o único momento da nossa vida em que somos puros, 100% verdadeiros, belos e únicos. Depois, isso é destruído pela idade adulta. 

Feliz Dia da Criança!
Sejam vocês mesmos, sejam felizes!



Imagem do Google Imagens