Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O blog do Mau Feitio

Experiências, histórias, poesia, opiniões, dia a dia, dramatizações, descontração, gargalhadas infinitas, amigos, momentos, livros, filmes, TV, músicas, pessoas, coisas da vida, do mundo e mau feitio.

Sou tão deficiente.

Vim sair com um amigo, beber um copo, pelo caminho vimos uma amiga dele e por impulso, convidei-a.

Não sei porquê... enfim. PORQUE SOU TÃO DEFICIENTE!!! 

 

Resultado:

Tou aqui há 1 hora a assistir a uma conversa. 

 

Vim-me embora, disse que ia ter com uma pessoa e vim. Já estava a cair de sono. Saí para nada...

Solidão feliz!

Há algum tempo que já não venho cá, tanto para escrever tanto para ler e comentar os vossos posts. Tenho-me sentido cansada, não muito mas quando acabo o trabalho, só me apetece descansar, espairecer por aí. Há várias semanas que tenho saído sozinha (por opção), de vez em quando, arrasto alguém comigo mas gosto muito de estar sozinha, principalmente caminhando por aí a ver as pessoas a confraternizar. É curioso, eu gosto de ver as pessoas na rua, nos bares a conversar, a confraternizar. Eu gosto do barulho que as pessoas fazem quando conversam, gosto de ver os amigos, os namorados, os pais e os filhos, as pessoas idosas, as crianças. Eu gosto de ver as aglomerações, mas não gosto muito de estar nelas ou pelo menos não gosto de estar sempre nelas. Todos os dias com´as mesmas pessoas? Não consigo. Para mim, é bom conversar com alguém, por a conversa em dia, mas o que quero dizer eu não me sinto bem a ter de fazer isso todos os dias, sempre. Como se fosse uma obrigação, como se eu tivesse de alguma forma fazer isso como forma de retribuição por algo em que me ajudaram. 

Eu nasci para ser livre, eu necessito de liberdade. 

Nem sempre as pessoas entendem isso, acham que quero estar só porque não estou bem. Às vezes, eu falho em aparecer quando digo que vou estar, porque por mais que eu tente,  há dias que só me apetece aterrar-me na cama a ler, escrever ou a navegar nas ondas da Internet.  Ou então, trocar de roupa e ir caminhar até me doer as pernas.

 Que dizer? Eu tenho uma personalidade estranha, talvez mas estou bem com isso. Os meus amigos sabem, entendem que sou esquisita e aceitam os meus  momentos de solidão feliz. Eu chamo assim porque são uma opção minha e não porque não tenho ninguém. Eu tenho muitas pessoas que gostam de mim, eu acredito nisso. Eu sei que sim. E não me sinto sozinha. Nunca!

Até porque, eu tenho um equilíbrio. Nem sempre sozinha, nem sempre acompanhada.

Eu acho que só se é verdadeiramente feliz quando se gosta de nós próprios, da nossa própria companhia e quando sabemos equilibrar isso.

 

 

se so e feliz.jpg

IMAGEM_GOOGLEIMAGENS

 

 

aDeus Pedro Lima!

 A morte faz parte da vida e é algo que está presente todos os dias a todo momento à nossa volta, em todo o lado, mas é tão normal que às vezes nem paramos para refletir.

Ontem ao saber da morte do ator Pedro Lima, eu parei para refletir. Porquê? Não sei...

 

Obviamente que eu só conhecia o ator Pedro Lima através da caixinha mágica mas foi e sempre será alguém inesquecível, não só pelas suas recorrentes e extraordinárias participações nas telenovelas portuguesas, mas também porque ele tinha algo de cativante. Não era o meu ator preferido nem assisti a todas as telenovelas em que participou, muito menos o seguia nas redes sociais. 

No entanto, sinto muito por ter partido tão precocemente e de uma forma tão estranha, era daqueles atores que não é preciso muito para se gostar deles.

A primeira vez que me lembro de lhe ter visto na televisão foi na série Olá Pai!  , provavelmente já o tinha visto noutros projetos de televisão, mas lembro-me dessa série porque tínhamos TV Cabo cá em casa há pouco tempo, então aqueles canais todos, novelas e atores eram o máximo para mim. E a série era muito engraçada, assim como a personagem que ele interpretava. 

Não sei por que razão a vida quis que Pedro Lima partisse tão cedo... só sei que Portugal perdeu um grande ator e a televisão portuguesa ficou mais pobre.

 

aDeus Pedro Lima!

pedro.jpg

IMAGEM_GOOGLEIMAGENS

 

A história do número 4

Após ouvir algumas histórias do tempo de adolescente do meu amigo Carlins, esta fascinou-me de tal forma que lhe perguntei se não se importava que eu a partilhasse aqui no meu blog.

A história foi escrita à mão pelo próprio Carlins, eu não mudei nada, apenas copiei do papel para o blog.


Eis a história:

 

Número 4

A minha história do número 4 é um pouco doida e muita gente já disse e de tolos mas isso nunca importou para nós, digo nós porque éramos 4 pessoas. 4 adolescentes, irmãos, amigos... 
Fomos unidos dos 15 aos 19 anos, estávamos sempre juntos e agora tenho 28 e ainda todos nós mantemos contacto, embora afastados uns dos outros seremos sempre irmãos unidos.
Saímos juntos, bebemos juntos até a gente dormir na mesma cama. Era ''la vida loca'' de adolescente...
Um dia, falando que tínhamos que fazer alguma coisa para que a gente nunca se esquecesse da nossa amizade, do nosso tempo único que um dia ia acabar, fazer algo que mesmo velhos sem memória, não íamos esquecer acontecesse o que acontecesse, então um de nós teve a ideia de aquecer um faca e fazer o número 4 para ficar marcado para o resto da vida e foi mesmo isso que fizemos. Bebemos bastante e depois já anestesiados, fizemos o número 4 todos na mesma zona do braço direito.
E fazia de novo se fosse preciso!
Os 4 éramos eu Carlos Alexandre, meu primo, meu amigo e meu irmão.
Esta é a minha história do número 4.

 

Obviamente que o que me fascinou não foi o facto de terem marcado o 4 no braço direito com uma faca quente depois de ficarem anestesiados de tanto álcool... também acho loucura. 
O que cativou a minha atenção foi a amizade daqueles 4 putos, 4 adolescentes, a união deles, a confiança que depositavam uns nos outros, tudo o que eles viveram uns com os outros e tudo isso ficará na história de vida deles. 

Isso é incrível.

Eu conheço o Carlins há pouco tempo, chamo-o pelo ''o rapaz que mete medo ao medo'' porque é grande mas do pouco que conheço dele é sem dúvida, uma pessoa com um coração tamanho do mundo. 
Vocês iam gostar de ser amigos dele.

Design sem nome (9).png

 

Antes ser burro 1500 vezes do que ser ignorante a vida inteira

Pensamento do dia

Eu não sei tudo nem pretendo saber tudo só num momento porque eu penso que a vida só é interessante quando temos algo para aprender. Que piada terá uma vida quando a pessoa já sabe tudo? Que frustante!

Eu não sei o que é morrer nem imagino como será o meu último dia de vida, no entanto, considero que será quando eu já não tiver nada para aprender. Eu vejo a vida de muitas formas e esta é uma delas.

Contudo, quando eu preciso de ajuda em algumas situações, muito por falta de experiência, algumas pessoas começam a rir-se de mim disfarçadamente, porque talvez é óbvio para elas. Uma vez, dirigi-me a uma instituição e fiz uma pergunta óbvia (agora eu sei que era uma óbvia) e a pessoa que me atendeu riu-se da minha cara. Nunca mais me esqueci. Na minha opinião, apesar do elevado nível de estudo que essa pessoa possa ter, não passa de uma pessoa ignorante porque ninguém começou nada na vida sem fazer bosta. Nenhum jogador de futebol foi bom à primeira, nenhum professor, nenhum médico... ninguém. E talvez essa pessoa lá na sua vidinha e no trabalhinho que tem deve cometer cada bosta uma maior do que a outra...

Posto isto, eu penso que sempre que uma pessoa não sabe, diz-nos que não sabe (mesmo que já a tínhamos ensinado 1500 vezes, mesmo que seja óbvio) e se de alguma forma pede-nos ajuda, devemos ajudar, primeiro porque já houve tempo de nós não sabermos fazer o que a pessoa não sabe hoje e haverá coisas que essa pessoa nos poderá ensinar amanhã.

 

16737074_b7KVd.jpeg

ImagemGoogleImagens

 

Partilhando Poesia

Vento

Conheci este poema faz apenas um dia pela voz  da atriz brasileira Ísis Valverde e gostei tanto porque é tão real. 

Não sei se vocês o conhecem...?

 

 

Se a gente jogar uma pedra no vento
Ele nem olha para trás.
Se a gente atacar o vento com enxada
Ele nem sai sangue da bunda.
Ele não dói nada.
Vento não tem tripa.
Se a gente enfiar uma faca no vento
Ele nem faz ui.
A gente estudou no Colégio que vento
é o ar em movimento.
E que o ar em movimento é vento.
Eu quis uma vez implantar uma costela
no vento.
A costela não parava nem.
Hoje eu tasquei uma pedra no organismo
do vento.
Depois me ensinaram que vento não tem
organismo.
Fiquei estudado.

 

Manoel de Barros - Vento

Olá

Olá, tudo bem?

 

Por aqui vou indo, mas é uma realidade estranha ter de colocar máscara todas as manhãs... eu optei por usar aquelas descartáveis por ser mais fácil para mim. Uso e ponho fora. Embora seja mais caro. Tenho usado 2 ou 3 máscaras por dia, porque só se pode estar 4 horas com uma máscara. E vocês? Que tipo de máscaras usam?

Novidades...?

Beijs.

Bom dia

Eu já começo o post escrevendo que não sei o que escrever: EU NÃO SEI O QUE ESCREVER!!!

É o segundo dia em que eu acordo antes das 7h00 da manhã. Acham normal? Nada na minha vida é normal a começar por mim graças a Nosse Senhô . Que eu seja anormal todos os dias!!!

Nunca gostei de acordar (de me levantar) antes do meio dia. Não sei mas nunca achei piada às manhãs... se não tenho o que fazer prefiro dormir ou ficar na cama toda a manhã. Exceto no Verão que antes das 9h00 da manhã, já estou à beira da piscina. De resto, detesto mesmo levantar-me de manhã.

E hoje vou mesmo ficar na cama até ao meio dia, vou pôr um filme e aproveitar a minha manhã debaixo do lençóis.

 

E por aí, o que vocês estão a fazer? Quais são os vossos planos para hoje?

Beijs

ga.jpg

IMAGEMDOGOOGLEIMAGENS

Uma princesa que está farta de ser princesa

Olá, 

Nesta quarentena aproveitei para pôr a leitura em dia. É um pouco difícil porque a Internet consome-me o tempo quase todo, se bem que a uso para acrescentar algo à minha vida. Mas quando encontro um livro que eu gosto de ler não existe nada que me faça tirar os olhos e todo o resto do meu ser dele.

Comprei o livro Uma princesa em fuga de Lindsay Emory já algum tempo, um pouco antes desta pandemia tomar conta do mundo mas só recentemente é que comecei a lê-lo.

É um romance divertido e ousado de uma princesa que está de coração partido por ter sido abandonada no dia do seu casamento e farta de ser princesa e na tentativa de ser uma mulher ''normal'' foge do palácio e vai para um bar onde conhece Nick...

pin.jpg

Conhecem o livro?

Se sim, o que acham?

Beijs e boa noite.

Mais sobre mim

foto do autor

Frase do Mês

Sem frase.

Guardados no baú

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Depois não digam que eu não informei

1-Devido à importação dos textos de uma plataforma para outra, alguns deles surgiram sem espaço entre as palavras, sem pontuaçãoetc. De modo que, alguns posts anteriores a 5 de Nov. de 2018, ainda estão por corrigir. 2-Relativamente às imagens utilizadas no blog, como sempre refiro a fonte no fim de cada post, a maioria delas são retiradas da Internet. No entanto, se algum autor de alguma imagem ''passar por aqui'' e não permitir a sua utilização, por favor envie e-mail que logo que possível a imagem será retirada. As restantes, são mesmo fotografias minhas e outras são criadas por mim com auxílio de alguns programas de edição de fotografia e design. Em todo o caso, eu identifico sempre a origem de todas as imagens e fotografias utilizadas no blog.

Fala comigo em

blogdomaufeitio@sapo.pt